Governo dos Açores não vê razões para críticas sobre a ocupação hoteleira no "Triângulo"

Governo dos Açores não vê razões para críticas sobre a ocupação hoteleira no "Triângulo"

 

Lusa/AO Online   Regional   23 de Dez de 2016, 07:14

A secretária regional do Turismo dos Açores, Marta Guerreiro, considerou hoje não existirem razões para críticas em relação à ocupação hoteleira nas ilhas do "Triângulo" (Faial, Pico e São Jorge).

A governante, que falava à saída de uma reunião com a Câmara do Comércio e Indústria da Horta (CCIH) e com os agentes de viagens, realizada no Faial, respondia às críticas feitas pelos empresários e operadores turísticos da ilha, que reclamam medidas para aumentar a procura turística nesta parte do arquipélago.

"A nossa perspetiva é de que 2016 seja o melhor ano de turismo nos Açores em todas as ilhas, inclusivamente aqui no ‘Triângulo’, onde naturalmente algumas ilhas podem crescer mais do que outras", sublinhou a titular da pasta do Turismo na região.

Referindo-se aos mais recentes dados estatísticos, que revelam um aumento da ocupação hoteleira nas ilhas do Faial e Pico na ordem dos 15% e uma diminuição em São Jorge de 0,8%, em relação a 2015, Marta Guerreiro explicou que os números não devem ser vistos isoladamente.

"Se virmos uma série de estatísticas dos últimos dois anos, porque não podemos olhar apenas para os últimos meses, temos para todas as ilhas crescimentos muito significativos", lembrou ainda a governante.

O presidente da CCIH, Carlos Morais, já tinha defendido a necessidade de medidas suplementares para fazer aumentar a procura turística nas ‘ilhas do Triângulo, recordando que só a ilha Terceira, por exemplo, regista aumentos de quase 70%.

"Temos de procurar parcerias em mercados essenciais para a região, que possam potenciar um aumento do turismo entre novembro a março para o ‘Triângulo’", insistiu o representante dos empresários locais, no final do encontro com a secretária do Turismo.

A CCIH tem vindo também a reivindicar, juntamente com as forças vivas locais, um aumento das ligações aéreas semanais da Azores Airlines (grupo Sata), entre Lisboa e Horta, durante o próximo verão.

Apesar de Marta Guerreiro não ser responsável pelo pelouro dos Transportes no arquipélago, a governante não se escusou de comentar essa reivindicação, que também considerou não ser prioritária.

"O número de voos para o Faial não regista um aumento, em termos de número, mas o turismo regista, o que significa que os turistas estão a chegar ao Faial", lembrou a secretária regional do Turismo, adiantando que os turistas chegam ao Faial não apenas em voos diretos, mas através de outras ilhas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.