Governo dos Açores diz que "grupo de trabalho" de Passos Coelho "vem tarde"

Governo dos Açores diz que "grupo de trabalho" de Passos Coelho "vem tarde"

 

Lusa/AO Online   Regional   16 de Jan de 2015, 12:41

O presidente do Governo dos Açores disse que tem mantido um diálogo institucional "elevado" com o executivo nacional sobre as Lajes, mas considerou que o grupo de trabalho anunciado pelo primeiro-ministro "vem tarde".

 

"Achamos que este grupo de trabalho vem tarde, achamos que já devia ter sido constituído. Achamos que não é depois da casa roubada que se põem trancas na porta", afirmou Vasco Cordeiro, no plenário do parlamento dos Açores, na Horta.

Vasco Cordeiro disse que apresentou ao primeiro-ministro uma proposta de plano de revitalização da economia da ilha Terceira quando Passos Coelho visitou os Açores, no ano passado, que este afirmou desconhecer, em declarações aos meios de comunicação social.

Além disso, lembrou que o PS apresentou na Assembleia da República, no âmbito dois últimos Orçamentos do Estado, propostas com vista à criação de planos de revitalização económica da Terceira, sempre rejeitados pela maioria PSD/CDS.

"Sejamos claros, em nenhumas das declarações feitas no âmbito da visita do primeiro-ministro aos Açores se fala na constituição de um grupo de trabalho sobre as Lajes", disse Vasco Cordeiro, acrescentando que Passos Coelho referiu sim que iria "procurar em conjunto com o Governo Regional formas de abordar o assunto".

"Até à semana passada, após o anúncio da decisão norte-americana, nunca tivemos nenhum contacto do Governo da República para avançar nesse trabalho de concretização", acrescentou.

Ainda assim, os Açores não recusam participar no grupo de trabalho sobre as Lajes, que Passos Coelho referiu hoje na Assembleia da República, e já indicaram o vice-presidente do Governo Regional como seu representante.

"Mantivemos, e com o Governo da República também, um nível de discussão elevado, é verdade. E naquilo que depender de mim, esse nível de discussão institucional elevado, manter-se-á. Mas há uma coisa que não deve deixar dúvidas a ninguém. Nem aqui, nem lá fora eu admito ser tomado por tolo. E por aquilo que eu represento, também não admito que seja tomado por tolo o povo dos Açores", afirmou, dizendo que não é feito "de plástico".

Insistindo em que "agora é tempo de ação" e "é nisso que o Governo [Regional] está a trabalhar", confirmou que o seu executivo está a ultimar um plano de revitalização económica para a ilha Terceira, que vai apresentar na próxima semana, e que foi preparado nos últimos dois anos.

Essa espécie de "plano B" foi mantido em segredo para não prejudicar o esforço diplomático que estava a ser desenvolvido junto das autoridades dos EUA e que visava alterar a intenção de Washington de diminuir a sua presença nos Açores.

O presidente do PSD/Açores, Duarte Freitas, pediu, a seguir a esta intervenção, para se manter "o esforço de consenso" em relação às Lajes que tem havido e para não se fazer deste assunto uma "arma de arremesso político".

Por outro lado, disse estar "certo e seguro" de que também o executivo nacional andou "no recato" a preparar "medidas que certamente serão agora, nesta fase, avançadas".

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.