Governo dos Açores diz que gestão de resíduos vai gerar negócios de 10 ME/ano

Governo dos Açores diz que gestão de resíduos vai gerar negócios de 10 ME/ano

 

Lusa/AO Online   Regional   26 de Nov de 2015, 15:33

O Governo Regional dos Açores estimou hoje que a implementação da política de gestão de resíduos gere um volume de negócios anual "superior a 10 milhões de euros e crie mais de 150 novos postos de trabalho diretos".

O secretário regional da Agricultura e Ambiente destacou, na sua intervenção no parlamento regional, na ilha do Faial, que, a estas verbas e postos de trabalho criados, juntam-se “significativos ganhos para o ambiente, saúde pública e paisagem”.

Luís Neto Viveiros referiu que, paralelamente à entrada em funcionamento dos Centros de Processamento de Resíduos e à conclusão das obras de selagem das lixeiras nas Flores e Graciosa, “decorrem os procedimentos destinados à selagem das lixeiras e aterros do Corvo, São Jorge, Faial e Santa Maria”.

“As políticas públicas de Ambiente, no seu conjunto, revelam, portanto, uma clara opção pela sustentabilidade e são decisivas para a afirmação dos desígnios estratégicos dos Açores, contribuindo para uma região ambiental”, disse o governante

O secretário regional sublinhou o crescimento do número de visitantes dos Centros Ambientais dos Açores, que constituem “um elemento da animação e da promoção turística da Região, enquanto destino de Natureza”.

Segundo disse Luís Neto Viveiros o número de visitantes destes centros passou de cerca 68 mil em 2012 para mais de 102 mil em 2014, tendo atingido este ano (até 31 de outubro) "quase 104 mil visitantes.

Na sua intervenção, anunciou que em 2016 será inaugurada a Casa dos Fósseis, na ilha de Santa Maria, o Centro de Interpretação da Cultura do Ananás, em São Miguel, “cessado que foi o contrato com o anterior empreiteiro, por incapacidade de acabar a obra”.

A construção da Casa dos Vulcões, no Pico, a reabilitação da Fábrica da Baleia de Porto Pim, no Faial e a nova zona de apoio às descidas e estacionamento junto à Montanha do Pico são outras empreitadas que “vão concluir o aumento e beneficiação da rede de centros” adiantou Luís Neto Viveiros.

O governante disse ainda que, até ao final da legislatura, será concluído o processo de eletrificação e beneficiação elétrica de cerca de 90 explorações, será feita uma intervenção em mais de 28 quilómetros de caminhos rurais e florestais e executadas obras que vão permitir "aumentar a rede de caminhos agrícolas nos perímetros de ordenamento agrário para 360 quilómetros em toda a região”.

Também até ao final do próximo ano, referiu o secretário regional, será atingida “uma capacidade instalada de armazenamento de água de 650.000 m3, 500 quilómetros de condutas e 3.300 ramais para abastecimento a 5000 explorações”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.