Governo dos Açores diz que está tudo pronto para novo ano letivo

Governo dos Açores diz que está tudo pronto para novo ano letivo

 

LUSA/AO Online   Regional   2 de Set de 2017, 14:34

O diretor regional da Educação dos Açores garantiu hoje que está tudo preparado para que no dia 13 as escolas estejam prontas para receber os alunos, adiantando que na próxima semana serão colocados os restantes professores.

“Temos tudo pronto e preparado para que no dia 13 de setembro as escolas estejam prontas – e vão estar prontas - para receber os alunos”, afirmou à agência Lusa José Freire, explicando que na próxima semana serão colocados os restantes professores em falta para que as aulas se iniciem normalmente. O presidente do Sindicato Democrático dos Professores dos Açores afirmou hoje que faltam cerca de 100 professores e educadores de infância nas escolas da região para o ano letivo 2017/2018. “Verificando que este número é muito semelhante ao do ano letivo anterior, constatando que saíram da região 150 professores para as escolas do continente e que apenas entraram para lugares no quadro [das escolas] 65, faltam sensivelmente 100 docentes”, declarou José Pedro Gaspar. Segundo o diretor regional, é "normal" chegar a esta altura e ainda não se ter feito a colocação destes docentes, reiterando que na próxima semana esta situação estará ultrapassada. José Freire adiantou que o executivo regional está a desenvolver “um processo de colocação de professores que resulta de uma nova legislação” e, ao contrário de anos anteriores, em que este começou no início do ano, em 2017 o processo foi encetado em maio. “Já colocámos em termos de docentes no concurso interno 91 vagas, no concurso externo 65 docentes, por afetação de deslocação entre quadros da região e oriundos do continente 452, e na oferta de emprego 658 docentes. Falta só colocar nas escolas o equivalente a 100 horários completos”, esclareceu. De acordo com o diretor regional da Educação, poderão ser mais de cem professores, porque “alguns desses horários deverão e são incompletos”, mas, ainda assim, outros serão completos, resultado de situações como doença, licenças de parentalidade e maternidade ou gravidez de risco. José Freire referiu que há cerca de cinco mil docentes no sistema educativo regional, número que se mantém “em relação aos outros anos”, salientando que tem sido “feito um esforço para preenchimento de quadros e todos os anos têm entrado cerca de cem novos docentes que têm vindo a colmatar as necessidades”. “Temos consciência das necessidades do sistema educativo e temos preenchido, efetivamente, com os elementos que são necessários para que as escolas funcionem corretamente”, declarou o responsável.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.