Governo dos Açores defende em Bruxelas manutenção da quota do goraz


 

AO/Lusa   Regional   12 de Nov de 2016, 14:03

O secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia dos Açores participa na segunda-feira, em Bruxelas, na reunião do Conselho de Agricultura e Pescas da União Europeia, onde vai defender a manutenção da quota do goraz.

 

“O Governo dos Açores vai defender a manutenção das 507 toneladas da quota de goraz para a região”, afirma Gui Meneses, citado numa nota de imprensa do executivo açoriano, salientando que “têm sido implementadas no arquipélago várias medidas importantes para garantir a sustentabilidade desta pescaria, entre as quais a introdução de um período de defeso na altura da desova e o aumento do tamanho mínimo de captura desta espécie”.

A 06 de outubro, a Comissão Europeia propôs uma redução generalizada das capturas de peixes de águas profundas para 2017 e 2018, com cortes que chegam aos 20% para peixe-espada preto, goraz e abrótea, em águas nacionais.

No que respeita ao goraz, nas águas continentais as reduções propostas nos TAC (Totais Admissíveis de Capturas) são de 13% (para as 160 toneladas) no próximo ano e de mais 14% (138 toneladas) para 2018.

Nas águas dos Açores, os cortes avançados são de 12%, quer em 2017 (para 455 toneladas), quer em 2018 (400 toneladas).

No mesmo dia, o executivo açoriano contestou a proposta, considerando que esta tem apenas em conta aspetos biológicos, e alertou para o impacto socioeconómico da redução na região.

Na nota de imprensa hoje divulgada, Gui Menezes destaca os resultados do cruzeiro científico de análise ao estado da população de espécies demersais nos Açores que “indicam que a população de goraz está a dar sinais de recuperação em praticamente todas as áreas que foram amostradas e que cobrem as nove ilhas do arquipélago”.

O titular da pasta das Pescas admite que o estudo sobre o impacto socioeconómico das reduções na quota de goraz realizado pelo Governo dos Açores, que tem estado a ser analisado pelos cientistas do Conselho Internacional para a Exploração do Mar e por técnicos da Comissão Europeia, “poderá ter algum peso na decisão a ser tomada no Conselho das Pescas”.

O secretário regional do Mar participa na reunião integrado na delegação nacional liderada pela ministra do Mar, Ana Paula Vitorino.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.