Governo critica serviços mínimos decretados na greve dos estivadores

Governo critica serviços mínimos decretados na greve dos estivadores

 

Lusa/AO Online   Regional   7 de Dez de 2012, 06:35

O secretário regional do Turismo e Transportes dos Açores, Vítor Fraga, criticou quinta-feira os serviços mínimos decretados para a região no âmbito da greve nacional dos estivadores, alegando que a paralisação está a causar

“Os serviços mínimos foram decretados na perspetiva de satisfazer minimamente a região, mas verifica-se que tal não se concretiza”, afirmou Vítor Fraga aos jornalistas, à margem da apresentação da renovação da rede de postos de abastecimento da Repsol nos Açores.

Os estivadores dos portos de Lisboa, Setúbal, Figueira da Foz e Aveiro estão em sucessivas greves desde setembro, altura em que o Ministério da Economia anunciou ter chegado a acordo com um conjunto de sindicatos afetos à UGT e operadores portuários.

Segundo o governante açoriano, para garantir a prestação do serviço de transporte de mercadorias para o arquipélago “dentro da normalidade e regularidade” tem sido necessário conjugar esforços com vários operadores privados.

“A nossa preocupação tem sido garantir que não haja ruturas. Iremos contintuar a trabalhar para que isso não venha a acontecer. Até ao momento os nossos objetivos têm sido alcançados e estamos convictos de que com a colaboração dos vários operadores locais de transporte iremos conseguir manter esse nível de serviço”, salientou Vítor Fraga.

O secretário regional do Turismo e Transportes assegurou que o executivo regional continuará, conjuntamente com vários parceiros, empenhado em encontrar as melhores soluções para minimizar os impactos desta greve nacional, através da otimização das rotas e escalas nos vários portos da região para que “a carga chegue e saia dos Açores dentro de um prazo razoável”.

“Todos nós sabemos que esta greve está a trazer consequências graves para a economia regional”, disse Vítor Fraga.

O Sindicato dos Estivadores do Centro e Sul prometeu quinta-feira prosseguir a luta contra o novo regime do trabalho portuário, após a sua aprovação, agendada para sexta-feira, através da “via jurídica, política e sindical”.

Na segunda-feira, o Sindicato dos Estivadores do Centro e Sul e o Sindicato dos Trabalhadores do Porto de Aveiro entregaram um novo pré-aviso de greve que vai prolongar a paralisação em curso até à véspera de Natal.

O pré-aviso abrange todo o trabalho portuário entre as 08:00 do dia 17 e as 08:00 do dia 24, com algumas exceções.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.