Governo dos Açores avança com Conselho para a Internacionalização

Governo dos Açores avança com Conselho para a Internacionalização

 

Lusa/AO Online   Regional   18 de Nov de 2016, 16:51

O Governo dos Açores vai criar um Conselho para a Internacionalização e a curto prazo instalar um gabinete de representação em Bruxelas, anunciou hoje o secretário regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas, Rui Bettencourt.

 

“A implementação de um Conselho Açoriano para a Internacionalização colocará a concertação entre os diferentes parceiros das relações externas em articulação com os desafios que se colocam aos Açores”, explicou Rui Bettencourt.

O governante discursava na Assembleia Legislativa Regional, no debate sobre a proposta do Programa do Governo dos Açores para os próximos quatro anos, que hoje termina na Horta, ilha do Faial.

Na ocasião, Rui Bettencourt explicou que a “estratégia central para a ação externa açoriana” resume-se a “levar os Açores ao mundo e trazer o mundo aos Açores”, realçando que a região tem “sabido afirmar-se nas instâncias europeias”.

Exemplo disso, adiantou, “é o facto de os Açores presidirem hoje a um dos maiores e mais prestigiados organismos europeus, a Conferência das Regiões Periféricas Marítimas, que representa mais de 150 regiões e cerca de 200 milhões de pessoas”, presidido pelo chefe do executivo açoriano, Vasco Cordeiro, num segundo mandato.

Rui Bettencourt acrescentou que “um importante pilar desta afirmação dos Açores na Europa e da eficiência” que o executivo regional quer “imprimir a esta nova fase da ação pública açoriana nesta área” é a instalação a curto prazo de uma Representação dos Açores em Bruxelas”.

Para o responsável, trata-se da “peça central na estratégia de defesa integral dos interesses açorianos junto das instituições europeias, em interligação com organismos públicos e privados, atores e agentes do desenvolvimento económico e social da nossa região”.

A 01 de fevereiro, foi anunciado que as regiões autónomas dos Açores e da Madeira iriam criar um gabinete conjunto de representação em Bruxelas, com o objetivo de defenderem posições comuns sobre medidas da União Europeia com impacto para os dois arquipélagos.

A decisão consta de um dos dez protocolos de cooperação assinados pelos dois executivos regionais, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, Açores, no final de um encontro entre os governos das duas regiões.

Rui Bettencourt acrescentou que terá, igualmente, atenção do Governo dos Açores a projeção “na Macaronésia, nos Estados Unidos da América e no Canadá, e nos países de particular interesse, quer em termos económicos, quer em termos de parcerias estratégicas”.

“Pretendemos estar em todos os sítios onde se tomam decisões sobre nós e influenciar estas decisões, desde logo no quadro da União Europeia, em particular na defesa do nosso estatuto de ultraperiferia, dos nossos setores produtivos ou das nossas especificidades”, declarou, para acrescentar que “é igualmente um forte pilar” da ação externa o “aprofundamento das relações” com as comunidades açorianas no mundo, declarou.

Rui Bettencourt apontou ainda como prioridade a integração dos imigrantes e a reintegração dos emigrantes regressados, e garantiu redobrada atenção “com a integração dos açorianos no exterior”, sendo que, neste caso, prometeu uma particular atenção à situação das comunidades açorianas nos Estados Unidos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.