Governo do Egito demite-se dias depois de escândalo de corrupção na Agricultura

Governo do Egito demite-se dias depois de escândalo de corrupção na Agricultura

 

Lusa   Internacional   12 de Set de 2015, 18:44

O primeiro-ministro e todo o Governo do Egito demitiram-se hoje, anunciou a presidência, dias depois do ministro da Agricultura ter sido detido por corrupção, ficando no poder até à transição.

"O primeiro-ministro entregou a demissão do Governo ao Presidente, que a aceitou", lê-se numa declaração presidencial que não especifica os motivos da demissão.

O Presidente Abdel Fattah al-Sisi pediu ao primeiro-ministro, Ibrahim Mahlab, para se manter no cargo até haver novo Governo, acrescenta a declaração.

O anúncio surge numa altura em que o Egito se prepara ter umas eleições que têm vindo a ser adiadas, primeiro para 17 de outubro, e depois para 2 de dezembro.

Na segunda-feira, o gabinete do primeiro-ministro anunciou que o ministro da Agricultura, Salah Helal, tinha sido detido depois de ter sido demitido por ordem de Sisi no âmbito de uma investigação sobre corrupção.

O Governo de Mahlab, composto por 31 governantes, tomou posse em março de 2014 com o principal objetivo de organizar as eleições presidenciais que Sisi, o antigo chefe das forças armadas, venceu em maio desse ano.

A vitória de Sisi ocorreu quase um ano depois de o antecessor Mohamed Morsi ter sido deposto, em julho de 2013.

As próximas eleições vão ocorrer mais de dois anos depois de Sisi ter deposto Morsi, cujo partido Irmandade Muçulmana, agora proibido, ganhou por larga maioria as eleições de 2011.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.