Governo diz que é fundamental intervir na Caldeira Velha

Governo diz que é fundamental intervir na Caldeira Velha

 

Lusa/AO online   Regional   19 de Jan de 2018, 14:53

A secretária regional da Energia, Ambiente e Turismo dos Açores defendeu esta sexta-feira que as obras na Caldeira Velha, cascata de água férrea, são fundamentais para a qualidade do monumento e para a "segurança e conforto" dos visitantes.

"A nossa preocupação é que, a partir de agora, o espaço fique condigno e responda ao que queremos em termos de qualidade de serviço", assinalou Marta Guerreiro, falando aos jornalistas no final de uma visita à cascata da Ribeira Grande, ilha de São Miguel, onde hoje arrancaram intervenções de limpeza e outro tipo de obras para adequar o espaço ao novo modelo de gestão.

"Há um conjunto de intervenções que já estão a decorrer, hoje é o primeiro dia" das obras, assinalou a secretária regional, que destacou também a "preocupação grande" do executivo regional em manter com os trabalhadores do espaço "relações contratuais claras com uma retribuição condigna".

E vincou: "Agora sim, vamos terminar com esta relação de precariedade que existia neste local", estando em curso nesta fase a análise de mais de 400 candidaturas para emprego na Caldeira Velha.

Algumas das intervenções imediatas na Caldeira Velha passam, por exemplo, pela limpeza e impermeabilização do fundo dos tanques de banhos, a construção de um terceiro tanque, a instalação de mais vestuários e cacifos ou a instalação de um contador que irá controlar os acessos ao monumento.

Segundo o governo açoriano havia já indicado, as intervenções "visam colmatar situações críticas decorrentes das derrocadas ocorridas em dezembro, bem como adequar o espaço ao novo modelo de gestão que será implementado pela Sociedade de Gestão Ambiental e Conservação da Natureza - AZORINA a partir de 10 de fevereiro, data prevista para a reabertura ao público".

Em 14 de novembro de 2017 foi anunciado que a Caldeira Velha ia regressar à tutela do Governo Regional dos Açores, de acordo com uma carta enviada ao presidente da câmara da Ribeira Grande, denunciando o protocolo para a conservação e manutenção do monumento natural, celebrado a 19 de janeiro de 2012 entre o executivo açoriano e aquele município da ilha de São Miguel.

Na ocasião, o presidente da Câmara da Ribeira Grande, Alexandre Gaudêncio, eleito pelo PSD, disse ter sido apanhado de surpresa com a decisão do executivo regional, do PS, de fazer regressar ao Governo a gestão da Caldeira Velha.

O Monumento Natural da Caldeira Velha, muito procurado por turistas, foi classificado em 2004 e integra, desde 2008, o Parque Natural de São Miguel.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.