Governo diz haver sintonia com sindicatos na revisão concurso dos docentes

Governo diz haver sintonia com sindicatos na revisão concurso dos docentes

 

Lusa/Açoriano Oriental   Regional   21 de Dez de 2016, 16:44

O secretário regional da Educação e Cultura dos Açores afirmou que "as expectativas sindicais e as promessas governamentais se cruzam" na revisão do Regulamento do Concurso do Pessoal Docente, admitindo que o processo deverá ficar fechado durante janeiro.

 

"Vamos verdadeiramente hoje começar a negociar. Tivemos apenas uma primeira reunião de calendarização do processo negocial. Agora, uma coisa é certa: as expetativas sindicais e as promessas governamentais cruzam-se em dois aspetos, a reposição da anualidade dos concursos, que se tornará uma realidade, e a derrogação da obrigatoriedade de permanência por três anos na escola de colocação", afirmou Avelino Meneses, em declarações aos jornalistas.

O titular pela pasta da Educação nos Açores falava após uma reunião com a direção do Sindicato de Professores da Região Açores, em Ponta Delgada.

Segundo o secretário regional, "a ultrapassagem destes problemas contribuirá cada vez mais para estabilizar o corpo docente e para trazer as pessoas para mais próximo das suas famílias".

"E cremos que isso se traduzirá em benefício da qualidade do ensino", frisou o governante, acrescentando que atualmente os corpos docentes das escolas "estão relativamente estáveis e que já não é necessário, portanto, sacrificar" os docentes com essa obrigatoriedade de permanência por três anos na escola de colocação.

"Todavia, também disse na reunião de calendarização deste processo que não deixaremos de discutir qualquer outro aspeto que as forças sindicais entendam colocar em cima da mesa", salientou, manifestando expectativas de que o processo negocial fique encerrado durante janeiro.

O presidente do Sindicato de Professores da Região Açores, António Lucas, disse que "nos últimos dois anos" a estrutura sindical "fez uma campanha a chamar atenção quer do poder político, quer dos partidos políticos com assento na Assembleia Legislativa Regional, para a revisão do diploma".

Além desta questão dos concursos, o dirigente sindical referiu que "o combate à precariedade" no setor da Educação é outra das resoluções que importa levar a cabo em 2017.

"O setor dos professores é exatamente um dos setores que apresentam mais elevados níveis de precariedade e para nós a resolução deste problema é uma questão de princípio", comentou António Lucas, indicando que, "no que diz respeito ao pessoal docente, há cerca de 18% dos docentes em precariedade" na região.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.