Governo aprova hoje orçamento retificativo

Governo aprova hoje orçamento retificativo

 

Lusa/AO Online   Economia   21 de Dez de 2015, 08:17

O Governo aprova hoje um orçamento retificativo, na sequência da venda do Banif ao Banco Santander, por 150 milhões de euros, um processo que envolve um apoio público estimado de 2.255 milhões de euros.

 

O Conselho de Ministros extraordinário está previsto para as 09:00 de hoje.

“Esta venda tem um custo muito elevado para os contribuintes, mas é, no atual contexto, a melhor solução que defende o interesse nacional”, afirmou o primeiro-ministro, António Costa, numa declaração ao país, no Palácio de São Bento, em Lisboa, ao fim do dia de domingo.

A opção, disse António Costa, “foi tomada tendo em conta a proteção dos depositantes, a defesa dos postos de trabalho, a salvaguarda da economia, em particular das regiões autónomas, e a defesa da estabilidade do sistema financeiro”.

A operação, segundo um comunicado do Banco de Portugal, "envolve um apoio público estimado em 2.255 milhões de euros que visam cobrir contingências futuras, dos quais 489 milhões de euros pelo Fundo de Resolução e 1.766 milhões diretamente do Estado" e é a solução "que melhor protege a estabilidade do sistema financeiro português".

Todos os partidos, à exceção do PSD e do CDS, que estiveram no poder até outubro, marcaram conferências de imprensa de manhã para comentar este caso que poderá ser objeto de um inquérito parlamentar, a exemplo do que aconteceu com outros processos envolvendo bancos, como o BES e o BPN.

A ideia foi lançada pelo presidente do PS e líder parlamentar dos socialistas, Carlos César, na sua página do Facebook. E teve, para já, o apoio do líder parlamentar do Bloco de Esquerda (BE), Pedro Filipe Soares, através de um comentário no Twitter.

Antes desta decisão do Governo, a administração do banco recebeu, na sexta-feira, seis propostas de compra. Foram conhecidas as ofertas dos bancos Santander e Popular, do fundo de investimento americano J. C. Flower, da Apollo e de um fundo sino-americano.

As ações do Banif estão suspensas de negociação desde quinta-feira, por decisão da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), que disse estar a aguardar a “prestação de informação relevante” sobre o processo de venda. Quando foram suspensos, os títulos estavam a valorizar 43% para 0,002 euros (0,2 cêntimos).

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.