Governo anuncia aumentos do complemento de pensão e abono de família

Governo anuncia aumentos do complemento de pensão e abono de família

 

Lusa/AO online   Regional   30 de Out de 2015, 14:15

O presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, anunciou que vai aumentar em 2016 o complemento regional de pensão em dois por cento e o complemento ao abono de família em dez por cento.

Em declarações aos jornalistas, na sequência de uma reunião do Conselho de Governo realizada na noite de quinta-feira na cidade da Horta, para aprovação do Plano e Orçamento para o próximo ano, o chefe do executivo explicou que o Governo tem uma "grande preocupação com as áreas sociais".

"O Plano e Orçamento para 2016 revela uma grande preocupação com as áreas sociais, razão pela qual o Conselho de Governo aprovou um reforço do complemento regional de pensão em dois por cento", explicou o governante, acrescentando que "o complemento regional ao abono de família também será reforçado em dez por cento".

A criação de emprego e o reforço dos apoios aos agricultores, devido à crise no setor leiteiro, continuam a ser as áreas prioritárias da ação do Governo para 2016, que prevê ajudas especiais nestes setores.

Vasco Cordeiro anunciou também que o Orçamento para 2016 ascende a 1.350 milhões de euros e representa um aumento de oito por cento em relação ao Orçamento deste ano.

"O Orçamento para 2016 ascende a 1.350 milhões de euros e prevê um investimento direto regional na ordem dos 500 milhões de euros", sublinhou o presidente do Governo açoriano.

O chefe do executivo explicou que foi por causa desta reunião do Conselho de Governo que não esteve presente em Lisboa, na tomada de posse do novo Governo de Passos Coelho, tendo estado representado por Isabel Rodrigues, secretária regional da Presidência.

"Não estive presente na tomada de posse do novo Governo em virtude da realização deste Conselho de Governo aqui na Horta, e pelo facto de ter de se realizar ontem [quinta-feira], tendo em conta os prazos para a entrega do Plano e Orçamento", justificou Vasco Cordeiro.

Questionado sobre a sua opinião relativamente à longevidade do novo Governo de Passos Coelho, agora empossado, o chefe do executivo açoriano disse que isso vai depender da Assembleia da República.

"É preciso deixar que aqueles que são os mecanismos que a nossa democracia tem, funcionem", advertiu Vasco Cordeiro, acrescentando que a questão da "viabilidade deste Governo, transitou para a Assembleia da República", onde cada um terá de "assumir" e "exercer" as suas competências.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.