Glaciar "devolve" cadáveres de três irmãos desaparecidos há 86 anos na montanha


 

Lusa/AO online   Internacional   23 de Nov de 2012, 08:51

O glaciar alpino Aletsch, no cantão suíço de Valais, devolveu' os cadáveres de três irmãos, 86 anos depois de terem desaparecido quando faziam montanhismo no local, noticiou a agência Efe.

Fontes policiais confirmaram hoje que os restos ósseos encontrados esta semana no glaciar por dois alpinistas britânicos são os de Johann, Cletus e Fidelis Ebener, nascidos respetivamente em 1895, 1897 e 1903 e desaparecidos em março de 1926.

As ossadas foram descobertas perto de restos de roupa, raquetas para a neve, bastões de esqui, um relógio de bolso, um cachimbo e uma mochila com nove francos dos anos 20.

No centro forense da localidade de Sion, peritos detetaram nos restos ósseos três ADN (código genético) distintos, mas também ADN mitocondrial (que se herda da mãe) idêntico, o que significa que as três vítimas eram irmãos.

A história do seu desaparecimento remonta à manhã de 04 de março de 1926, quando saíram da sua localidade, Kippel, para passear na montanha, na companhia do seu vizinho e guia de montanha, Max Rieder.

A meio da manhã, os quatro homens decidiram parar numa cabana e, de tarde, inspecionar os arredores para organizar o itinerário do dia seguinte.

O que aconteceu depois, não se sabe. Desconhece-se se terão caído numa fenda ou sido apanhados por uma tempestade de neve, que os impediu de regressar ao seu refúgio.

Igualmente por descobrir está o corpo do guia de montanha Max Rieder.

Desde 1926, quase 300 pessoas continuam desaparecidas em zonas naturais de Valais, especialmente na montanha, segundo a polícia.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.