Gestão e regulador estão a tentar fazer o melhor para o Montepio

Gestão e regulador estão a tentar fazer o melhor para o Montepio

 

Lusa/Açoriano Oriental   Nacional   30 de Mar de 2017, 11:57

O presidente do Crédito Agrícola, Licínio Pina, escusou-se a comentar as polémicas que envolvem o Montepio, dizendo apenas acreditar que a gestão do banco mutualista e o regulador estão a trabalhar para colocar a entidade no bom caminho.

"Estou convicto de que as pessoas que estão no banco e no regulador estão a tentar fazer o melhor para o banco e para o país", afirmou Licínio Pina durante a conferência de imprensa de apresentação das contas de 2016 do Crédito Agrícola, em Lisboa, depois de questionado sobre a situação do grupo Montepio.

A associação e o banco mutualistas têm estado em foco na comunicação social nos últimos tempos, com uma sucessão de notícias negativas, como a constituição de António Tomás Correia (presidente da MGAM - Montepio Geral Associação Mutualista) como arguido num processo em que é suspeito de ter recebido indevidamente 1,5 milhões de euros do empresário da construção civil José Guilherme.

Fonte ligada à investigação precisou na quarta-feira à Lusa que Tomás Correia não é arguido na "Operação Marquês", mas num outro inquérito autónomo resultante de elementos recolhidos naquela investigação em que o ex-primeiro-ministro José Sócrates é um dos arguidos.

Tomás Correia reiterou na quarta-feira, em comunicado, que abdicará das suas funções se se colocar a possibilidade de transitar em julgado algo a seu desfavor.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.