Ambiente

Gelo do Árctico pode desaparecer na segunda metade do século XXI

Gelo do Árctico pode desaparecer na segunda metade do século XXI

 

Lusa/AO online   Internacional   22 de Set de 2010, 17:42

O gelo do Árctico poderá desaparecer totalmente na segunda metade do século XXI, alertou o director do Observatório Geofísico Voeikov da Rússia, Vladimir Kattsov.
No fórum internacional sobre o futuro do Árctico, que começou hoje em Moscovo, Kattsov afirmou que a superfície de gelo da região foi reduzida ao mínimo histórico, segundo as recentes observações por satélite.

De acordo com o especialista, o degelo provocará um aumento significativo do nível do mar em todo o mundo, podendo causar inundações em ilhas e territórios costeiros, assim como a destruição de ecossistemas e o desaparecimento de inúmeras espécies.

“A temperatura média do Árctico russo cresceu duas vezes mais rápido do que o resto da Terra nos últimos 100 anos”, afirmou o assessor da presidência russa para a mudança climática, Alexander Bedritski, adiantando que “o derretimento dos gelos eternos já afecta a vida económica da região árctica russa”.

Ambientalistas e políticos de todo o mundo participam até quinta-feira no fórum internacional sobre o futuro do Árctico com o objectivo de debater os efeitos das mudanças climáticas e os interesses internacionais nessa zona.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.