Gaudêncio pede demissão de presidente da associação de municípios

Gaudêncio pede demissão de presidente da associação de municípios

 

Lusa/Açoriano Oriental   Regional   6 de Fev de 2017, 14:16

O presidente da Câmara da Ribeira Grande pediu a demissão do responsável da Associação de Municípios de São Miguel (AMISM), alegando existir "uma nebulosa" em todo o processo de construção de uma incineradora na ilha.

"Alguém que procura não criar consensos, julgo que não tem hipóteses para liderar um processo que se quer pacífico e, de preferência, com unanimidade em toda a ilha", afirmou o presidente do município, o social-democrata Alexandre Gaudêncio.

Numa conferência de imprensa para explicar a posição da Câmara da Ribeira Grande, o autarca frisou que "há uma nebulosa" em todo o processo de construção da incineradora de resíduos na maior ilha açoriana, declarando que "está mais do que na hora de debater este assunto de uma forma séria e responsável e com todos os intervenientes", e "sem conflitos pessoais".

Alexandre Gaudêncio salientou ter sido alvo de "ataques pessoais" por parte do presidente da AMISM, o socialista Ricardo Rodrigues, que lidera a Câmara Municipal de Vila Franca do Campo, e considerou que deveria haver "um pedido de desculpas público".

"Quando se ataca pessoalmente um colega e um membro da AMISM, julgo que está tudo dito e, nestes pressupostos, o dr. Ricardo Rodrigues não tem condições para continuar à frente da AMISM", sustentou, referindo que aquele, a semana passada na RTP/Açores, o acusou de "ingénuo" e de "cata-vento".

O autarca da Ribeira Grande adiantou que vai aproveitar a próxima reunião ordinária da AMISM para apresentar os argumentos para a demissão de Ricardo Rodrigues, considerando que este "já não tem capacidades para continuar a dirigir os destinos" da associação.

Em dezembro de 2016, a Assembleia Intermunicipal da Associação de Municípios da Ilha de São Miguel aprovou, por unanimidade, avançar com a construção de uma incineradora de resíduos, orçada em mais de 60 milhões de euros.

Em janeiro último, o movimento "Salvar a ilha contra a incineração em São Miguel" defendeu a suspensão do concurso público para a construção da central de resíduos.

Na conferência de imprensa de hoje, o autarca da Ribeira Grande disse que após a reunião de dezembro "saiu unanimidade" e que "as coisas estariam sanadas", "havendo cedências de ambas as partes" neste processo.

Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara Municipal de Vila Franca do Campo disse que "responderá depois de se inteirar das declarações feitas" pelo autarca da Ribeira Grande.

Entretanto, o Bloco de Esquerda anunciou que quer ter acesso a todos os documentos da AMISM sobre a incineração, pelo que vai solicitar à associação "o envio do estudo comparativo entre as várias soluções de gestão de resíduos que esteve na base da opção pela incineração para São Miguel, bem como outros documentos relativos a este processo".

Nos Açores já existe uma incineradora em funcionamento, na ilha Terceira.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.