G7 debate novas sanções à Síria e Rússia


 

Lusa/Açoriano Oriental   Internacional   10 de Abr de 2017, 17:21

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, Boris Johnson, disse que os seus homólogos das sete nações mais industrializadas vão debater a imposição de novas sanções à Síria e a altos militares russos.

 

Os ministros, que se reúnem hoje e terça-feira na cidade italiana de Lucca, "vão debater a possibilidade de mais sanções, certamente, a algumas das figuras militares da Síria e sem dúvida a alguns altos militares russos", disse o MNE britânico no lançamento do encontro, citado pela agência Associated Press.

Os ministros do G7 (Itália, EUA, Japão, Alemanha, França, Grã-Bretanha e Canadá) reúnem-se hoje e terça-feira em Lucca, na Toscânia, para debater a resposta ao ataque químico da semana passada na Síria, cuja responsabilidade o Ocidente atribui ao regime de Bashar Al-Assad e, por conseguinte, aos apoiantes russos.

A reunião começa hoje e tem como objetivo colocar pressão na Rússia para terminar o apoio ao Presidente Al-Assad.

O ataque com armas químicas perpetrado na semana passada a Khan Sheikhoun, controlada pela oposição ao regime, fez mais de 80 mortos e levou o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a lançar mísseis contra território sírio pela primeira vez.

O ministro dos Negócios Estrangeiros italiano, Angelino Alfano, disse que o amplo apoio da Europa aos ataques norte-americanos contribuiu para uma "renovada harmonia" entre os Estados Unidos e os parceiros europeus.

O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, participa na reunião do G7 pela primeira vez desde que Donald Trump foi empossado na Presidência, em janeiro.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.