Furacão Irma causa pelo menos 8 mortos na ilha de Saint-Martin, nas Antilhas Pequenas

Furacão Irma causa pelo menos 8 mortos na ilha de Saint-Martin, nas Antilhas Pequenas

 

Lusa/AO Online   Internacional   7 de Set de 2017, 07:44

O número de vítimas mortais na sequência da passagem do furacão Irma na parte francesa da ilha de Saint-Martin, nas Antilhas Pequenas, subiu hoje para oito, segundo as equipas de emergência francesas.


O responsável pelo departamento de proteção civil, Vicent Boichard, adiantou ainda que o balanço provisório aponta para oito mortos e 23 feridos.

O perfeito da ilha de Guadalupe, Eric Maire, tinha dado conta anteriormente de seis mortos na parte francesa da ilha de Saint-Martin, nas Antilhas Pequenas.

Antes, a ministra francesa do Ultramar, Annick Girardin, tinha informado que este furacão tinha causado, pelo menos, dois mortos e dois feridos nos territórios franceses de Saint-Martin e Saint Barthélemy.

O furacão Irma regista ventos sustentáveis de 295 quilómetros por hora e mantém-se como um ciclone de categoria 5, a máxima na escala Saffir-Simpson.

O Irma atingiu as Caraíbas, deixando a ilha de Barbuda “totalmente devastada” e 95% da parte francesa de Saint-Martin, nas Antilhas Pequenas, destruída, segundo informações oficiais divulgadas na noite de quarta-feira.

Também nas Caraíbas, a parte francesa da ilha franco-holandesa Saint-Martin ficou “95% destruída” com a passagem do Irma, disse na quarta-feira à noite o presidente do conselho territorial local, Daniel Gibbs.

O furacão deixou hoje para trás a ilha de Porto Rico e ameaça agora o noroeste da República Dominicana com ventos até 290 quilómetros por hora, segundo o Centro Nacional de Furacões de Estados Unidos.

De acordo com o Centro, “o olho do Irma deverá chegar hoje de manhã à República Dominicana, passará mais tarde perto das Ilhas Turcas e Caicos e no sudeste das Bahamas à noite”.

Três furacões estão a progredir em simultâneo no Oceano Atlântico, depois das tempestades José e Katia passarem a esta categoria, juntando-se assim ao Irma, que se desenvolve na categoria máxima, de 5, segundo o Centro norte-americano de Furacões.

Entretanto, Cuba iniciou a retirada de mais de 36 mil turistas estrangeiros atualmente de férias na costa norte oriental e central, a mais ameaçada pelo furacão Irma, que se deve começar a sentir na ilha na sexta-feira, seguindo depois para o estado norte-americano da Florida.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.