Fundos da UE para a incineração nos Açores aprovados por comissão do POSEUR


 

AO/Lusa   Regional   11 de Fev de 2017, 11:12

O líder dos municípios de São Miguel, nos Açores, disse ontem que foram aprovados pela comissão de gestão do programa POSEUR 70 milhões de euros para o projeto do Ecoparque, que contempla uma incineradora de resíduos.

 

“O processo dos fundos comunitários (destinados à construção de uma incineradora) está a seguir”, declarou aos jornalistas, em Ponta Delgada, o presidente da Associação de Municípios da Ilha de São Miguel (AMISM), Ricardo Rodrigues.

O autarca reuniu com os partidos com assento parlamentar para expor o processo de construção de uma incineradora para tratamento de resíduos, que tem gerado opiniões diversas na sociedade açoriana, bem como por parte de associações ambientalistas e movimentos cívicos.

Ricardo Rodrigues explicou que o projeto de investimento do Ecoparque da ilha de São Miguel envolve 87 milhões de euros, contemplando não só a incineradora, mas também a reciclagem, que possui um sistema automatizado já adjudicado e orçado em 2,8 milhões de euros, candidatado a fundos comunitários.

O autarca referiu que no âmbito da análise feita à candidatura do Ecoparque de São Miguel, pela comissão de gestão do POSEUR – Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, foram atribuídos 70 milhões de euros de fundos comunitários, dos 87 milhões que o projeto contempla.

A parlamentar Zuraida Soares, do BE/Açores, no final do encontro com o líder da AMISM, lembrou que a construção da central hídrica reversível, que tinha sido colocada como “condição sine qua no”, por Ricardo Rodrigues, para avançar o processo de inceneração em São Miguel, não vai avançar, segundo o presidente da Empresa de Eletricidade dos Açores(EDA).

“A EDA diz que não precisa nem pode aceitar mais eletricidade porque já tem o suficiente e sobra.Mas, segundo Ricardo Rodrigues, a empresa vai ser obrigada a dar sustentabilidade à incineradora comprando a eletricidade por ela produzida porque não há central hídrica reversível. Isto é, novamente, uma trapalhada”, disse.

O deputado do PPM/Açores, Paulo Estevão, afirmou que não está “convencido de que não existam outras soluções com menor risco ambiental” do que a incineração, questionando a viabilidade do investimento.

Carlos Ribeiro, dirigente do PCP/Açores, remeteu para mais tarde uma posição do partido, que irá promover uma reflexão interna sobre a matéria.

A deputada do PSD/Açores Catarina Furtado, após o encontro, considerou ser de “extrema importância” o debate e o confronto de ideias sobre o processo e disse que o partido está disponível para “analisar, até às últimas consequências”, quaisquer alternativas à construção de uma incineradora em São Miguel.

O líder do grupo parlamentar do PS/Açores, André Bradford, recordou que a gestão e tratamento dos resíduos urbanos é uma competência das autarquias e não coloca no plano parlamentar, sendo as soluções técnicas.

O Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR) pretende contribuir especialmente na prioridade de crescimento sustentável, respondendo aos desafios de transição para uma economia de baixo carbono, assente numa utilização mais eficiente de recursos e na promoção de maior resiliência face aos riscos climáticos e às catástrofes.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.