Fundo defende estratégia ampla para reverter baixa inflação na zona euro

Fundo defende estratégia ampla para reverter baixa inflação na zona euro

 

Lusa/AO online   Economia   14 de Abr de 2015, 15:11

O Fundo Monetário Internacional (FMI) defende "uma estratégia ampla" para reverter a baixa inflação na zona euro e impedir a estagnação económica, que atue em várias frentes, e não apenas centrada na atuação do Banco Central Europeu (BCE).

No 'World Economic Outlook',  o FMI afirma que esta estratégia "vai exigir ações simultâneas em várias frentes", além das já tomadas BCE, que lançou um programa de compra de dívida.

Para a instituição liderada por Christine Lagarde, são necessários "esforços concertados" para resolver o problema dos empréstimos em risco de incumprimento, os chamados créditos vencidos e de cobrança duvidosa, de forma a "reforçar os balanços dos bancos e a melhorar a transmissão monetária e a concessão de crédito".

"Uma regulação estrita dos empréstimos não performativos e melhorias nos procedimentos de insolvência e de execução de hipotecas vão dar aos bancos incentivos mais fortes para acelerar a eliminação destes empréstimos", refere o Fundo.

Outra recomendação passa por garantir que os países que têm margem orçamental "façam mais para promover o crescimento", incluindo investir em infraestruturas, e que os países com margem orçamental mais limitada "usem a nova flexibilidade do Pacto de Estabilidade e Crescimento para fazer investimentos e reformas estruturais e para seguirem políticas amigas do crescimento".

Além disso, o FMI reitera que as reformas estruturais devem ser implementadas para "aumentar a produtividade e o crescimento de médio prazo, revitalizar o investimento, encorajar a contratação de trabalhadores e promover o reequilíbrio" económico.

Para a entidade, as prioridades destas reformas devem ser a promoção de uma "maior flexibilidade no mercado de trabalho e de produto, a desregulação para remover barreiras ao investimento e um mercado comum mais integrado".

Depois de a inflação ter chegado ao final de 2014 nos 0,4%, o Fundo espera que a taxa de inflação na zona euro caia para os 0,1% em 2015 e que volte a recuperar em 2016, para os 1,1%.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.