Função Pública

Função Pública unida em greve geral

Função Pública unida em greve geral

 

Carmo Rodeia   Regional   4 de Mar de 2010, 10:10

Lixo amontoado e escolas fechadas é o primeiro balanço das primeiras horas de greve geral marcada para esta quinta-feira por todos os sindicatos dos trabalhadores da função pública no Continente e nos Açores.
João Decq Mota da CGT afirmou à Açores TSF que espera que a adesão seja total. O sindicalista diz que os funcionários públicos têm todas as razões para fazerem greve porque são sempre eles que pagam a factura da crise.

Também a UGT espera uma grande adesão. Francisco Pimentel diz que as negociações não são claras, o pré-anúncio do congelamento dos aumentos salariais é mesmo para valer, por os trabalhadores devem dizer basta.

Já o secretário de Estado da Administração Pública, Gonçalo Castilho dos santos, diz não compreender esta greve, entalada no meio de negociações entre governo e sindicatos.

Os efeitos da greve já se começam, no entanto, a fazer sentir. O lixo amontoado na cidade de Ponta Delgada foi o primeiro sinal de greve. No hospital do Divino Espírito Santo no início da manhã a consulta externa funcionava normalmente, mas com menos afluência. A Escola Secundária Antero Quental devia ter começado as aulas às 8h30 mas os portões só se abriram perto das 09h00.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.