Freguesias de Ponta Delgada criticam "diferença de tratamento" do Governo Regional

Freguesias de Ponta Delgada criticam "diferença de tratamento" do Governo Regional

 

Lusa/AO Online   Regional   29 de Fev de 2016, 16:44

Autarcas sociais-democratas do concelho de Ponta Delgada criticaram hoje a "diferença de tratamento" do Governo Regional dos Açores em relação ao PS, prometendo tudo fazer para obter "igualdade de tratamento e de oportunidade para as populações".

 

Na sessão da Assembleia Municipal de Ponta Delgada, o presidente da Junta de Freguesia de São José, Jorge Oliveira, afirmou que, em junho de 2015, este órgão aprovou por unanimidade um voto de louvor, manifestando “satisfação” pelo que parecia “marcar o início de uma nova etapa no relacionamento” entre o executivo açoriano e as autarquias, em particular as freguesias do concelho.

O autarca explicou que então se estava no período subsequente à publicação de uma lista de apoios financeiros que, através da secretaria Regional do Turismo e Transportes, “tão abastadamente contemplou” diversas entidades do concelho, incluindo “cirurgicamente” dez das 24 freguesias do concelho, “por sinal todas elas do PS”.

“Passados oito meses, ou seja 240 dias, estou em condições de, em nome de todos os autarcas do PSD aqui presentes, informar esta assembleia que, de um total de 27 pedidos enviados pelas juntas de freguesia eleitas pelo PSD, nenhum foi aprovado, assinado ou estabelecido até ao presente momento”, disse, observando que os pedidos dirigidos não “foram de natureza e finalidade diferente daqueles que foram feitos pelas juntas do PS”.

Jorge Oliveira salientou que, “perante tal diferença de tratamento”, os autarcas do PSD reunidos na Assembleia Municipal declaram que neste caso o Governo dos Açores, através da secretaria Regional do Turismo e Transportes, “demonstrou utilizar os meios financeiros ao seu dispor para apoiar as juntas de freguesia da sua cor partidária, marginalizando as autarquias do PSD” de Ponta Delgada.

Para o autarca, face a esta situação, o executivo açoriano e, em particular, aquela secretaria, “demonstraram um triste exemplo de relacionamento com o governo local, tratando uns como filhos e outros como enteados, não fazendo, deste modo, prevalecer o sentido de equidade e de igualdade de tratamento”.

Na declaração, lida no período antes da ordem do dia e que recebeu aplausos, Jorge Oliveira condenou, ainda, o facto de alguns dos autarcas estarem à espera “há quase dois anos de resposta a pedidos de reunião” com responsáveis políticos.

Considerando que os autarcas de Ponta Delgada não estão sozinhos “neste protesto”, o responsável referiu que “ainda recentemente a Delegação Regional dos Açores da Associação Nacional de Freguesias” denunciou a existência “de um tratamento desigual na relação do Governo Regional e as câmaras municipais e juntas de freguesia”.

“Da nossa parte autarcas das freguesias da Relva, Mosteiros, Ginetes, Feteiras, São José, São Pedro, São Sebastião, Livramento, Covoada, Santa Bárbara, Fenais da Luz, São Vicente, Fajã de Cima e julgo falar também pelo nosso colega autarca da freguesia de Santa Clara, não iremos calar esta revolta e faremos tudo ao nosso alcance para fazer prevalecer a igualdade de tratamento e de oportunidade para as populações que democraticamente representamos”, concluiu o presidente da junta.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.