Francisco Lufinha acaba travessia de 1.646 quilómetros entre Açores e continente

Francisco Lufinha acaba travessia de 1.646 quilómetros entre Açores e continente

 

Lusa/AO online   Outras modalidades   14 de Set de 2017, 12:43

O kitesurfer português Francisco Lufinha completou na quarta-feira a travessia entre os Açores e o continente, dez dias depois de ter saído de Ponta Delgada, tendo sido recebido por mais de uma centena de pessoas na marina de Oeiras.

Ao lado da alemã Anke Brandt, com quem conseguiu bater o recorde da maior travessia oceânica em dupla, na distância de 1.646 quilómetros, o kitesurfer não escondeu que a receção em festa da família e de muitos amigos "foi, de longe, a melhor parte", após as várias dificuldades com o vento que a equipa enfrentou neste percurso.

"É incrível. Muito obrigado a todos. Estamos há 10 dias no mar numa coisa que podia ter durado quatro ou cinco dias. Ficámos sem vento no mar a boiar no mesmo sítio. Ter esta multidão querida a puxar por nós é inacreditável", afirmou, citando o "vento fraco" e algumas "avarias" no barco da tripulação de apoio como os maiores problemas.

O ponto de partida desta jornada ocorreu em 04 de setembro, em Ponta Delgada, assinalando assim o quarto e último passo do projeto "Portugal é Mar", iniciado por Francisco Lufinha em 2013 e que teve como objetivo a ligação do território português em kitesurf. Para trás ficaram as ligações Porto-Lagos, em 2013, Selvagens-Funchal, em 2014, e Lisboa-Madeira, em 2015.

Apesar dos diversos obstáculos que a comitiva teve de superar, Francisco Lufinha lembrou também alguns momentos positivos e que reforçaram a sua paixão pelo mar: "O feeling de andar à noite no mar, com o reflexo da lua cheia, é espetacular. Sentia-me um Vasco da Gama. É uma sensação sem preço e é por isso que eu faço isto, por esta paixão pelo mar".

Paralelamente, o kitesurfer identificou a quantidade de lixo e plástico encontrados na água como um "problema sério" e que esta preocupação poderá estar na base dos seus próximos projetos para o futuro.

Presente na receção esteve também a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, que se mostrou emocionada com o feito de Francisco Lufinha e de Anke Brandt, agradecendo o exemplo de dedicação ao mar para as novas gerações.

"É um feito notável a vossa determinação, o amor pelo mar e pelos desafios. Fazes mais pela atração do mar relativamente a esta nova geração do que não sei quantas conferências que possamos fazer. Só posso agradecer em nome do Governo e do Estado", declarou.

A governante assinou ainda um mapa com o desenho das diferentes travessias de Francisco Lufinha no projeto "Portugal é Mar", colocando um simbólico ponto final na odisseia de quatro anos do kitesurfer português.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.