Fragata "Corte-Real" parada em 2015 e 2016 para reparação de 12 milhões de euros


 

Lusa/AO Online   Nacional   12 de Jan de 2015, 15:15

A fragata "Corte-Real", da Marinha Portuguesa, vai parar este ano e no próximo para fazer a sua revisão intermédia no Arsenal do Alfeite, uma ação de reparação e manutenção que deverá custar cerca de 12 milhões de euros.

 

Segundo um despacho publicado hoje em Diário da República, assinado pelo ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, o navio da Marinha Portuguesa "necessita de efetuar uma ação de manutenção que inclui a realização de uma docagem e uma revisão intermédia para manter a sua atividade operacional e as valências inerentes às suas capacidades".

Este processo de reparação da "Corte-Real", que está ao serviço da Armada desde 1991, deverá decorrer em 2015 e 2016, "pelo preço máximo de 12 milhões de euros".

Neste sentido, a Marinha e a Arsenal do Alfeite S.A. deverão celebrar um acordo de prestação de serviços de reparação e manutenção naval, que terá ainda de passar pelo crivo do Tribunal de Contas.

O porta-voz da Marinha, comandante Paulo Rodrigues Vicente, adiantou à agência Lusa que neste momento o ramo "aguarda uma resposta sobre orçamentos e disponibilidade" da Arsenal do Alfeite, empresa que vai assegurar "a totalidade da reparação".

Entre as principais missões já efetuadas pela "Corte-Real", um dos maiores navios da Marinha, estão as operações de evacuação na Guiné-Bissau, em 1998, ou as operações da NATO de combate ao terrorismo após o 11 de setembro de 2001 ou contra a pirataria no Oceano Índico, em 2009 e 2012.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.