Fóssil armazenado em museu britânico é nova espécie de ictiossauro


 

Lusa/AO online   Ciência   19 de Fev de 2015, 11:07

Um fóssil armazenado durante anos no museu de Doncaster (norte de Inglaterra) foi identificado como pertencendo a uma nova espécie de ictiossauro, um dos mais antigos répteis marinhos extintos conhecidos, foi divulgado.

 

A descoberta do paleontólogo Dean Lomax, da Universidade de Manchester, é revelada na revista britânica "Journal of Vertebrate Paleontology".

A nova espécie foi designada de "Ichthyosaurus anningae", em honra de Mary Anning, a paleontologista britânica que encontrou o primeiro ictiossauro na costa de Dorset (sul de Inglaterra) em 1811.

O fóssil estava armazenado há mais de 30 anos no museu, dado que se pensava que fosse uma cópia em gesso. Lomax encontrou-o em 2008 e mais tarde iniciou o seu estudo em colaboração com a professora Judy Massare, da State University de Nova Iorque.

Lomax e Massare compararam o fóssil, com cerca de 189 milhões de anos, com milhares de outras peças de ictiossauro espalhadas por museus na Europa e nos Estados Unidos e constataram algumas diferenças.

Este espécime foi descoberto em 1980 na costa de Dorset, local onde são abundantes os fósseis deste réptil já que o ictiossauro habitou a zona no período do Triássico.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.