Filme sobre açoriano que editou Neruda estreia a 14 de janeiro nos Açores

Filme sobre açoriano que editou Neruda estreia a 14 de janeiro nos Açores

 

Lusa/AO Online   Regional   8 de Jan de 2015, 06:48

O filme do realizador açoriano Zeca Medeiros baseado na vida do primeiro editor do escritor Pablo Neruda estreia a 14 de fevereiro no Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, e conta com a estreia de Jorge Palma como ator.

“O filme tem cerca de duas horas. É basicamente uma narrativa ficcional baseada na vida e na obra do editor corvino Carlos George Nascimento, que foi o primeiro editor de Pablo Neruda”, afirmou José Medeiros em declarações à Agência Lusa, acrescentando que além de Ponta Delgada, o filme, denominado “O livreiro de Santiago”, também será exibido, pela primeira vez, em Lisboa a 20 de fevereiro, na Casa dos Açores.

Carlos George Nascimento, nascido na ilha do Corvo em 1885, chegou ao Chile em busca de um tio, João Nascimento, o dono da livraria Nascimento, que mais tarde herdou e usou como rampa de lançamento da sua editora.

É considerado o grande impulsionador da literatura chilena no século XX, tendo publicado, em primeira edição, 32 autores laureados com prémios nacionais chilenos e dois prémios Nobel da Literatura. Entre eles constam Gabriela Mistral, Pablo de Rokha e Pablo Neruda.

Apesar de já ter produzido vários telefilmes, Zeca Medeiros não esconde algum “nervosismo e apreensão” com o aproximar da data da primeira exibição do novo trabalho, que foi feito com “muita sinceridade” e em “condições precárias”.

Além da música, Zeca Medeiros realizou ficção para a RTP, como “Mau tempo no canal”, “Xailes Negros, “O barco e o sonho”, "Gente feliz com lágrimas” e “O sorriso da lua nas criptomérias”.

O realizador adiantou que o seu próprio filho, Davide Medeiros, fará o papel do jovem Carlos Nascimento, que terá saído da mais pequena ilha açoriana com 20 anos.

O filme conta também com a participação de “amigos de longa data”, como Carlos Guerreiro, Filipa Pais e Maria do Céu Guerra.

José Medeiros destacou a participação especial e “estreia absoluta” de Jorge Palma na representação, num pequeno papel, garantindo que o músico “desempenhou muito bem o seu papel enquanto ator”.

Além dos Açores, o filme “O livreiro de Santiago” foi rodado nos EUA e no Chile.

“A rodagem foi relativamente rápida. Levou três meses e meio. Entre a rodagem e a pós-produção foram mais ou menos seis meses de trabalho. Isto sem contar com a pesquisa e a escrita do guião”, disse Zeca Medeiros.

O realizador açoriano, nascido na ilha de S. Miguel e antigo funcionário da RTP, adiantou que “para já” não há data prevista para a exibição do filme no canal público de televisão, nem está confirmada a exibição da película no Chile, apesar de haver “fortes possibilidades” de quer uma quer outra se concretizarem.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.