Ficar em casa e não ir trabalhar ajuda a evitar desenvolvimento de epidemia da gripe

Ficar em casa e não ir trabalhar ajuda a evitar desenvolvimento de epidemia da gripe

 

Lusa/AO online   Internacional   18 de Jan de 2018, 17:54

O vírus da gripe espalha-se pelo simples ato de respirar e o contágio é mais fácil do que se pensava, segundo um novo estudo divulgado esta quinta-feira, em que se defende que quem tem gripe não deve ir trabalhar.

"Descobrimos que os casos de gripe contaminam o ar à sua volta com vírus infecciosos só com a respiração, sem tosse ou espirros", afirmou Donald Milton, professor de saúde ambiental na Escola de Saúde Pública da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos.

O investigador indicou que as pessoas engripadas geram "aerossóis infecciosos, pequenas gotículas que ficam suspensas no ar durante muito tempo, mesmo quando não estão a tossir, especialmente nos primeiros dias da doença".

"Quando alguém tem gripe, deve ir para a casa e não ficar no emprego a infetar outras pessoas", defendeu.

A investigadora Sheryl Ehrman, da Universidade Estadual de San Jose, afirmou que os resultados da investigação sugerem que as recomendações habituais, como manter as superfícies limpas, lavar muitas vezes as mãos e evitar pessoas com tosse, "não protegem completamente da gripe".

"Ficar em casa e evitar os espaços públicos pode fazer a diferença na disseminação do vírus da gripe", reforçou.

O estudo foi publicado no boletim da Academia Nacional das Ciências norte-americana.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.