Festival +Jazz realiza-se em Angra do Heroísmo pelo quinto ano consecutivo

Festival +Jazz realiza-se em Angra do Heroísmo pelo quinto ano consecutivo

 

Lusa/AO Online   Regional   20 de Abr de 2016, 14:44

O festival +Jazz realiza-se, pelo quinto ano consecutivo, em Angra do Heroísmo, nos Açores, nos dias 20 e 21 de maio, com o objetivo de incentivar o gosto por novas sonoridades entre os mais jovens.

"Um dos nossos objetivos era criar massa crítica, e notamos essa evolução ao longo destas cinco edições. Quem veio na primeira edição fidelizou-se e conseguimos ir buscar novas faixas etárias", salientou hoje, numa conferência de imprensa, Daniela Silveira, da organização do festival.

Segundo Daniela Silveira, nos primeiros anos, foram vendidos entre 120 e 150 ingressos por edição, mas, no ano passado, as vendas aumentaram para 300 bilhetes e, este ano, a organização quer "manter ou superar" este número.

Com um orçamento de 6.000 euros, o +Jazz aposta em artistas regionais e numa sonoridade mais apelativa aos jovens, embora já exista na ilha um público fiel ao jazz, devido à realização do festival internacional AngraJazz, há 17 anos.

"O jazz é muito abrangente e vai beber a vários estilos musicais, desde o soul, desde o funk, desde o groove, desde o blues, e nós estamos a tentar ir por umas sonoridades que sejam mais atrativas aos jovens, como sendo a convergência ou a fusão do jazz com outros estilos, porque, para um jazz puro, pesado, tem de se ter um ouvido treinado para gostar", disse Daniela Silveira.

Segundo Guido Teles, vereador da autarquia de Angra do Heroísmo, que apoia o festival, este projeto contribui para a consolidação do concelho, “enquanto capital açoriana da cultura".

"Dentro dos recursos que temos disponíveis, temos tentado direcionar a nossa ação para iniciativas que sejam capazes de criar as bases necessárias, principalmente nos nossos jovens, para que possam corresponder àquilo que a sua cidade e o seu concelho exigem deles, enquanto residentes de Angra do Heroísmo, que é conhecida como uma das grandes referências culturais do arquipélago", adiantou.

No primeiro dia do +Jazz atua a cantora Sara Cruz e a banda Anona, que se deslocam da ilha de São Miguel, enquanto no segundo dia sobe ao palco o grupo Cat Green and The Stange Fellas, de Lisboa, mas cuja vocalista é descendente de terceirenses, seguido da DJ Mary Jane, da ilha Terceira, que se estreia no +Jazz.

Além do cartaz musical, o festival inclui uma exposição de fotografia, um encontro de ‘urban sketchers', animação de rua e um mercado urbano de artesanato.

A organização do festival conta ainda com o apoio de jovens voluntários, numa parceria com a Associação de Juventude do Porto Judeu ICTHUS.

"Estávamos a apontar inicialmente para dez, quinze voluntários, neste momento já temos quase 30 jovens e todos eles têm referido a importância da aposta que a sociedade tem de fazer neles e de se poderem sentir úteis", salientou Bruna Melo, da ICTHUS.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.