Festival Internacional de Contistas dos Açores estende-se a três ilhas

Festival Internacional de Contistas dos Açores estende-se a três ilhas

 

LUSA/AO online   Cultura e Social   24 de Mai de 2017, 14:11

O Festival Internacional de Contistas dos Açores "Conto Contigo na Praia", que decorre de quinta-feira a sábado, estende-se este ano a três ilhas dos Açores e conta com um maior número de contadores

"Embora estejamos apenas na terceira edição, a evolução tem sido grande, desde logo porque integrámos no ano passado a Rede Atlântica de Festivais de Narração Oral”, adiantou à Lusa Valter Peres, promotor do evento.

O festival, que arrancou na Praia da Vitória, na ilha Terceira, há dois anos, apenas com cinco contadores locais, integra este ano 12 contadores, sendo que seis chegam de fora da região, oriundos da Galiza, da Argentina, do Uruguai, da Madeira e do continente português.

Segundo Valter Peres, a “Rede Atlântica de Festivais de Narração Oral”, criada no ano passado, tem contribuído para uma maior interação entre os contadores, o que possibilita a deslocação de contadores aos Açores, mas também uma maior projeção dos contadores locais.

“Um dos objetivos dos festivais [integrados] na rede, é permitir que nós possamos receber contadores de outros festivais e vice-versa. Eu já estive em três festivais da rede: Madeira, Lisboa e Galiza. Este ano, em princípio, temos dois contadores que sairão para alguns festivais”, salientou.

A rede inclui os festivais de contos dos Açores, da Madeira, de Lisboa, de Santiago de Compostela e da Bretanha.

O festival açoriano estende-se pela primeira vez às ilhas do Pico e da Graciosa, com espetáculos das contadoras Soledad Felloza (Uruguai) e Sofia Maul (Madeira), que participaram na sua segunda edição, e dos contadores locais Helder Xavier e Ricardo Martins.

“Para o ano, a nossa ideia é estender um pouco mais ainda, até porque também é nossa ideia que os contadores que cá vêm criem connosco uma família. Gostaríamos que aqueles que este ano cá vêm, para o ano vão a uma das extensões”, revelou Valter Peres.

Na Praia da Vitória, decorrem dois espetáculos, um na sexta-feira, com José Craveiro (Portugal) e Rodolfo Castro (Argentina) e outro no sábado com Ângelo Torres (Portugal) e Celso Sanmartín (Galiza).

Participam também, no festival, Valter Peres, Paulo Freitas, Nisa Cabral e Ana Janeiro, estando previstas deslocações a todas as escolas do concelho da Praia da Vitória e um espetáculo para idosos, na quinta-feira.

“Os adultos também gostam de histórias, inclusive das de crianças. O festival tem as componentes todas. Tem a componente para as crianças, a componente para os seniores, que são histórias de tradição oral sobretudo, e tem a componente adulta, não por serem contos de bola vermelha, mas porque são horários mais tardios. São ritmos e temáticas diferentes”, frisou o promotor do evento.

Segundo Valter Peres, a adesão do público é cada vez maior, porque os contos estão na moda, mas também porque os contadores locais têm alimentado esse gosto pela narração oral.

“Seja nas bibliotecas, seja junto das escolas, seja alguns que estão a fazer mesmo serões para adultos, não temos deixado o público cair. Temos alimentando o público. Cada um de nós faz duas, três sessões por ano, às vezes mais”, salientou.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.