Festival de Parapente dos Açores atrai cada vez mais participantes estrangeiros

Festival de Parapente dos Açores atrai cada vez mais participantes estrangeiros

 

Lusa   Outras modalidades   15 de Ago de 2015, 11:17

O Festival de Parapente dos Açores, que decorre este ano de 19 a 23 de agosto em São Miguel, atrai cada vez mais participantes estrangeiros, registando uma taxa de repetição elevada, revelou hoje a organização.

“Grande parte das pessoas que nos visitam nos nossos festivais são repetições. Há dois amigos franceses que este ano vêm pelo nono ano consecutivo ao festival. Temos também dois pilotos espanhóis que já estiveram cá há sete ou oito anos e vêm agora outra vez, com família e amigos”, afirmou João Brum, da organização, em declarações à Lusa, acrescentando que este é um “festival de sensações únicas e ambiente familiar”.

Segundo João Brum, para a 21.ª edição do festival, organizado pelo Clube Asas de S. Miguel (ACSM), estão já inscritas mais de 150 pessoas oriundas de Portugal, Espanha, França, Suíça, Alemanha, Noruega, Hungria e Brasil.

Só a partir do terceiro Festival de Parapente dos Açores, em 1995, a organização começou a contabilizar as várias edições do evento, que se iniciaram na ilha de São Miguel em 1993, apenas com participantes locais, mas que se têm vindo a afirmar cada vez mais no panorama internacional.

Em 2014, a revista inglesa “Cross Country”, distribuída em 75 países, considerou o festival um dos oito melhores da Europa, o que para a organização constitui motivo de orgulho e de mais responsabilidade.

João Brum, que preside ao CASM, referiu que sobrevoar a ilha permite ter outro olhar sobre a paisagem.

“Temos levado pessoas a voar e todas elas dizem que a paisagem de cima não tem nada a ver. No outro dia voámos na Lagoa do Fogo, saímos a 900 metros de altitude e dá para ver perfeitamente as duas costas [de São Miguel]. As pessoas ficaram maravilhadas. A paisagem já é bonita vista de terra, mas pelos ares tem outro significado”, afirmou.

À semelhança de anos anteriores, a 21.ª edição contará com batismos de voo para a população em geral, fruto do “grande sucesso” alcançado nos últimos anos.

Para isso, foram contratados pilotos do continente, com licença para voos bilugares, e os interessados podem dirigir-se, a partir do dia 19, pelas 09:00, ao secretariado que vai ficar montado em frente ao centro comercial Parque Atlântico, em Ponta Delgada, nas traseiras do pavilhão desportivo.

Os locais de voo serão escolhidos no próprio dia devido às condições meteorológicas.

“No parapente é sempre assim: o dia, a hora e o local são sempre ditados pela meteorologia”, disse o organizador do festival.

O parapente, criado em 1978 em França, é uma modalidade desportiva de voo livre, em que o piloto controla a direção de uma estrutura flexível, tirando partido das correntes do ar para sobrevoar uma zona e aterrar.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.