Festival de cinema "Arquiteturas" chega aos Açores na quarta-feira

Festival de cinema "Arquiteturas" chega aos Açores na quarta-feira

 

Lusa/AO Online   Regional   5 de Dez de 2016, 17:23

Os Açores vão receber, na quarta e na quinta-feira, a extensão do "Arquiteturas Film Festival" de 2016, em Ponta Delgada, evento que decorreu em outubro, em Lisboa, e é promovido pela plataforma Do You Mean Architecture.

 

Segundo uma nota de imprensa, a extensão do festival decorre de uma parceria da Delegação dos Açores da Ordem dos Arquitetos, Cooperativa Cultural MaLA, Teatro Micaelense e 9500 Cineclube.

Esta é a segunda vez que o “Arquiteturas" chega aos Açores, tendo surgido integrado, em 2015, no festival de arte pública Walk and Talk.

No âmbito da iniciativa, que surgiu em 2013 com o lema “não há cinema sem arquiteturas”, serão apresentados documentários experimentais e de ficção inspirados pela arquitetura.

De acordo com a organização, os trabalhos versam temas como a reabilitação dos velhos centros históricos, gentrificação dos bairros turísticos, construção de novos sentidos de comunidade, privatização do espaço público e emergência de novas formas de intervenção urbana.

A mesma fonte refere que serão exibidos os filmes premiados no festival, que contarão com a apresentação de Vera Beltrão, diretora de produção do “Arquiteturas”.

No final de cada sessão tem lugar um painel de comentadores formado por profissionais da arquitetura, gestão cultural, sociologia e jornalismo, que irão apresentar a sua perspetiva sobre os filmes.

Na quarta-feira, vão ser exibidos os filmes “Penumbria”, de Eduardo Brito, galardoado com o prémio de melhor filme português, contando com música da pianista e compositora Joana Gama.

Segue-se a curta-metragem de animação “Casa ou A Máquina de Habitar”, de Catarina Romano, vencedora ‘ex-aequo’ do prémio do público, que aborda a importância do espaço da casa para o indivíduo.

A fechar o primeiro dia da extensão do festival, é exibido o documentário “Em breve estarás aqui”, uma coprodução holandesa e portuguesa, realizada pelo italiano Fabio Petronilli, vencedora ‘ex-aequo’ do prémio do público.

Este documentário aborda os “prós e contras do turismo maciço em Lisboa, mais propriamente dos investimentos que começam a surgir no bairro da Mouraria e as suas consequências”, informa a organização.

No segundo e último dia do festival, na quinta-feira, está agendada a exibição do prémio Novos Talentos, atribuído à 'curta' alemã "DGLR", de Antje Buchholz, e depois a curta portuguesa “Cais”, de Marta Covita, vencedora do prémio de melhor filme experimental, encerrando com o filme vencedor do prémio de melhor filme internacional, “A Cúpula”, um documentário de Sattel Volker.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.