Orçamento de Estado

FESAP exige aumentos acima do valor da inflação


 

Lusa / AO online   Economia   15 de Jan de 2010, 14:06

A Frente Sindical da Administração Pública (FESAP) rejeitou esta sexta-feira a possibilidade dos aumentos salariais não serem superiores ao valor da inflação, defendendo que o combate ao "desperdício" poderá gerar meios financeiros para as subidas das remunerações.
"Se houver um combate adequado ao desperdício, em determinados sectores, poder-se-á criar meios para os aumentos dos salários", defendeu Nobre dos Santos, reagindo às palavras do ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, que disse "não haver qualquer justificação" para subidas reais dos salários em 2010.

Teixeira dos Santos justificou esta posição, na quinta-feira, após uma ronda pelos partidos da oposição para debater o Orçamento do Estado, com os aumentos de 2009, a "situação financeira" das contas públicas e os "níveis de dívida que o país irá atingir".

"Tem de haver melhor distribuição de verbas no Orçamento do Estado e um combate firme ao desperdício", insistiu o responsável da FESAP, sublinhando que o Governo "não pode criar situação de imposição" relativamente aos salários, atendendo à actual situação económica dos portugueses.

Questionado sobre o valor salarial que a FESAP irá propor ao Governo, na mesa das negociações salariais, Nobre dos Santos disse ainda não existir um valor final, apesar de assegurar que o sindicato "nunca irá apresentar uma proposta inferior a três por cento".

"Espero que não haja prejuízo efectivo dos salários e que o valor faça face, pelos menos, ao aumento da inflação", disse, acrescentando que "não é aceitável um congelamento salarial".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.