Federação de Pescas diz que há um milhar de pescadores a mais no setor

Regional /
Gualberto Rita

1195 visualizações   

O presidente da Federação de Pescas dos Açores, Gualberto Rita, defendeu a criação de um pacote de "reformas antecipadas" para o setor, admitindo que possam existir um milhar de pescadores "a mais" na região.
 

 

"Há necessidade de fazer uma análise mais profunda sobre a realidade do número de embarcações que estão na frota, bem como o número de ativos que estão na pesca", explicou Gualberto Rita, em declarações aos jornalistas, no final de uma reunião com o secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia, na Horta, ilha do Faial.

O representante das associações de pesca da região adiantou que, se for feito um estudo sobre a realidade do setor nos Açores, "o resultado poderá ser o de que há gente a mais na pesca", situação que, em seu entender, "penaliza o rendimento dos pescadores".

"Não temos dados precisos. Calculamos que possa rondar os mil pescadores [a mais], mas queremos números exatos e queremos saber qual a realidade do setor", acrescentou o presidente da Federação de Pescas.

Gualberto Rita sustentou que o setor "tem servido de âncora, quando há crise, a outros setores" de atividade económica, situação que permitiu, nos últimos anos, a entrada de "muitos mais ativos para a pesca" nos Açores.

O novo secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia, Gui Menezes, adiantou que o Governo dos Açores já está a preparar um plano de reforma das pescas, que deverá estar concluído até ao final do primeiro trimestre de 2017.

"O nosso compromisso foi de, até ao final do primeiro trimestre, termos uma proposta de reestruturação possível da frota, que vai ser depois posta à discussão dos parceiros", adiantou o governante, no final da reunião.

Gui Menezes sublinhou que, para o executivo regional, essa reestruturação é "prioritária", mas lembrou que há ainda um trabalho de levantamento estatístico por concretizar.

"Este assunto, como percebem, é um assunto delicado. Nós temos de avaliar ilha a ilha o que é que se está a passar, em termos de barcos, as idades das pessoas, que pesca é que fazem, para depois dessa avaliação surgir uma solução", insistiu Gui Menezes.

Sem especificar quantos profissionais da pesca possam existir a mais na região, o novo titular da pasta do Mar nos Açores disse apenas que "há ilhas que têm, aparentemente, um excesso de pescadores, em algumas pescarias".