Federação das Pescas estima que 400 embarcações dos Açores podem receber apoios

Federação das Pescas estima que 400 embarcações dos Açores podem receber apoios

 

Lusa/AO Online   Regional   19 de Jul de 2016, 14:49

O presidente da Federação das Pescas dos Açores, Gualberto Rita, disse hoje à agência Lusa que cerca de 400 embarcações poderão ser abrangidas com o sistema de incentivos de apoio à pesca local e costeira criado pelo Governo Regional.

 

“Das 600 embarcações que nós temos, julgamos que cerca de 400 podem ser abrangidas por esta portaria. São embarcações que tiveram muito tempo sem ter qualquer manutenção por dificuldades financeiras dos armadores e podem agora recorrer para recuperar as suas embarcações”, afirmou Gualberto Rita.

O representante dos pescadores nos Açores salientou que a portaria publicada hoje em Jornal Oficial, que entra em vigor na quarta-feira e tem a duração de um ano, vem ao encontro de uma reivindicação da federação no âmbito do plano de resgate do setor das pescas.

Com o diploma, o Governo dos Açores retoma as candidaturas ao sistema de incentivos de apoio à pesca local e costeira, que esteve suspenso durante mais de dois anos, enquanto aguardava que a União Europeia operacionalizasse o regime de apoio aos investimentos a bordo de embarcações de pesca, o que não se veio a verificar.

Para Gualberto Rita, o sistema de incentivos de apoio à pesca local e costeira surge “numa boa altura”, quando o setor da pesca nos Açores pode estar a “atravessar um dos piores momentos”.

“Atendendo a que já estamos a 70% da quota do goraz capturada a única salvação será a safra do atum. Prevíamos que já fosse melhor nesta altura, só estamos com 500 toneladas de bonito que nesta altura se perspetivava muito mais, mas esperamos que o final do mês de julho e agosto sejam melhores”, explicou.

Hoje, em Vila do Porto, na ilha de Santa Maria, onde o Governo Regional se encontra em visita estatutária, o presidente do executivo açoriano, Vasco Cordeiro, esclareceu que a portaria visa a atribuição de apoios para a reparação de embarcações ou aquisição de equipamentos.

Vasco Cordeiro explicou que a portaria “vem na sequência” do relatório final do grupo de trabalho para a reestruturação das pescas, entregue ao executivo açoriano a 14 de junho último.

Após a entrega do relatório, Vasco Cordeiro explicou que o relatório final, além de preconizar medidas, faz “um diagnóstico daquelas que são as principais características” do setor “em termos de oportunidades, pontos fortes, ameaças e pontos fracos”, e indica igualmente “algumas orientações estratégicas que no entendimento do grupo de trabalho devem ser seguidas no futuro de forma a acautelar” diversos “valores principais”.

Em fevereiro, o presidente do Governo dos Açores anunciou um resgate para o setor das pescas para dar condições para os trabalhadores desenvolverem a sua atividade.

Na ocasião, o governante adiantou tratar-se de “uma espécie de resgate dentro deste setor que possa acautelar as necessidades de rendimento”, mas também de sustentabilidade, e “as necessidades de reestruturação do setor para lhe dar melhores condições para desenvolver a sua atividade”.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.