Açores/Eleições

Federação Agrícola quer resolução de "situações pertinentes"

Federação Agrícola quer resolução de "situações pertinentes"

 

Lusa/AO Online   Regional   7 de Out de 2016, 08:32

O presidente da Federação Agrícola dos Açores, Jorge Rita, assegurou que o setor vai solicitar a resolução de situações "muito pertinentes no mercado do leite" a quem governar após as eleições regionais de dia 16.

 

“O próximo governo tem que resolver situações de mercado no setor leiteiro que são muito pertinentes e, desta forma, solucionava o problema do preço baixo por cada litro de leite derivado da situação do mercado”, afirmou Jorge Rita à Lusa, acrescentando que esta é "uma grande preocupação da lavoura".

O dirigente associativo salientou que "o mercado é que dita as regras em relação aos preços", pelo que considerou “importante nos próximos tempos um apoio substancial" e "uma procura de novos mercados que valorizem” os produtos dos Açores.

O presidente da Federação Agrícola dos Açores, entidade com cerca de 3.000 associados, defendeu ainda que o próximo governo regional tem que continuar a apostar na reestruturação do setor leiteiro através de medidas que possam potenciar a produção.

“A regulação da venda dos produtos lácteos na distribuição, um incentivo ao desenvolvimento de novos produtos que criem mais valor acrescentado, e a procura efetiva nos mercados que reconheçam os nossos produtos e que valorizem a qualidade do leite açoriano e seus derivados” são questões “quase obrigatórias”, sublinhou.

Na fileira da carne, Jorge Rita elencou a necessidade de dotar os matadouros regionais de "boas condições que permitam potenciar a exportação" e "uma melhoria substancial dos transportes".

Na diversificação agrícola, Jorge Rita considerou igualmente importante criar "um mecanismo que promova a regulação do mercado" para controlar a produção existente e, "assim, contribuir para a eliminação das importações".

Potenciar as produções locais e criar mais denominações de origem são outras das reivindicações do setor nos Açores, com o dirigente associativo a assegurar que vai reivindicar junto das autoridades locais a implementação de seguros para as colheitas.

Jorge Rita defendeu também um lóbi em Bruxelas para que a região “possa estar mais perto das decisões”.

A questão das contribuições dos agricultores para a Segurança Social, que o dirigente associativo disse serem “excessivas” para os produtores é outra das preocupações do setor, que exige a transferência de verbas "adequadas e atempadas" para as organizações do setor.

"É preciso continuar a apostar na melhoria das infraestruturas, quer ao nível dos caminhos, quer a nível de abastecimento de água e fornecimento de energia elétrica, condições essenciais para continuar a produzir com qualidade na região", sustentou ainda Jorge Rita.

Para a votação de dia 16 estão inscritos 228.160 eleitores que vão escolher os 57 deputados à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores para os próximos quatro anos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.