Federação Agrícola dos Açores considera "migalhas" apoios comunitários para o leite

Federação Agrícola dos Açores considera "migalhas" apoios comunitários para o leite

 

Lusa/AO Online   Regional   18 de Jul de 2016, 15:00

O presidente da Federação Agrícola dos Açores considerou hoje "migalhas" os novos apoios financeiros da Comissão Europeia ao setor do leite e defendeu uma discriminação positiva para com a região que produz 30% do leite em Portugal.

 “Estamos outra vez a falar de migalhas. Da outra vez foi cinco milhões de euros para Portugal. Se nós desta vez temos quatro milhões, em que a crise está mais acentuada, obviamente que não podemos ficar satisfeitos”, afirmou em declarações à agência Lusa Jorge Rita, acrescentando que estamos perante “ajudas residuais”.

O ministro da Agricultura, Capoulas Santos, congratulou-se hoje, em Bruxelas, com os novos apoios financeiros da Comissão Europeia ao setor do leite, nomeadamente a "discriminação positiva" para os Estados-membros que aceitaram baixar voluntariamente a produção, sendo que Portugal irá receber um apoio de quatro milhões de euros.

Para Jorge Rita “não basta estarem todos a dizer que vivemos uma situação grave no setor”, alegando que na prática “o que os produtores precisam é de uma solução para um problema grave criado por quem decidiu o embargo Russo e a abolição do regime de quotas leiteiras”.

“O que está a acontecer na União Europeia são meros cosméticos em termos de ajudas, que até nos envergonham a todos”, sustentou o dirigente agrícola açoriano.

Aos 3.988.059 euros que Portugal vai receber de Bruxelas, o ministro adiantou que o Governo irá acrescentar "cerca de outros oito milhões” que resultam de poupanças “na gestão do primeiro pilar da Política Agrícola Comum".

A verba deverá estar disponível em outubro, salientou.

O presidente da Federação Agrícola dos Açores manifestou-se expectante quanto aos critérios para distribuição da ajuda europeia, acrescentando que se Capoulas Santos for pela percentagem de produção, os Açores irão receber 1,2 milhões de euros, valor que considerou “muito inferior”.

Segundo disse Jorge Rita, se Portugal, por exemplo, suspendesse o pagamento por conta neste momento “a verba de que estamos a falar é superior à verba que vamos receber da União Europeia”.

Para Jorge Rita “está na hora do Governo português” em matéria de agricultura “mostrar solidariedade para com a região autónoma dos Açores”.

A Federação Agrícola dos Açores representa 3.200 produtores de leite dispersos pelas nove ilhas do arquipélago.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.