Federação Agrícola dos Açores admite manifestações nas nove ilhas

Carregando o video...

 

Lusa/AO Online   Regional   3 de Mai de 2017, 16:18

A Federação Agrícola dos Açores afirmou hoje que a lavoura "perdeu oito milhões de euros" de "ajudas que deviam ter sido aumentadas a nível do Posei" (medidas específicas no domínio agrícola) ou "acauteladas pelo Governo Regional", admitindo realizar manifestações.

“Perdemos oito milhões de euros em termos de ajudas. E isso obviamente é uma quantidade exorbitante. O que nós queríamos é que o Governo Regional no seu plano e orçamento aumentasse substancialmente para acautelar estas situações. E o que estamos a ver do Governo Regional é que não acautelou estas situações”, tendo em conta “um crescimento natural das produções”, afirmou o presidente da Federação Agrícola dos Açores, Jorge Rita.

Em conferência de imprensa, Jorge Rita sustentou que o setor tem alertado “ao longo dos anos e já com outros secretários”, e “no tempo ainda que o presidente do Governo dos Açores ainda era secretário regional da Agricultura”, que “o Posei devia ter um reforço adicional para todos os tipos de produções, transportes e para o abastecimento”.

“Na expectativa que foi criada por temos mais produção, mais candidaturas, precisávamos de mais oito milhões. Ou seja, na prática os produtores de um modo geral acabam por perder. E estes oito milhões de euros deviam ter sido acautelados ou por via do aumento do Posei ou pelo orçamento da região”, apontou.

Jorge Rita frisou que existe atualmente “um grande diferencial” em relação às verbas disponibilizadas no âmbito do Posei para “aquilo que são hoje as candidaturas”.

“Quando se fala de rateios podemos falar, por exemplo, a nível do prémio ao abate. Estamos a falar de quem está no setor da carne e que tinha uma expectativa que ia receber um valor por animal e já recebeu menos 18.8% de rateio. É uma quantidade exorbitante em muitas explorações que estão no setor da carne e que poderão ter os seus dias contados precisamente por esta e outras razões”, alertou.

Segundo o presidente da Federação Agrícola dos Açores, "os agricultores passam se calhar a pior fase nos últimos 20 anos em termos de rendimento, quer no setor leiteiro" e noutros setores da atividade, exigindo do executivo açoriano "soluções".

"Não precisamos de um secretário que ande em todas as capelinhas, precisamos de um secretário que comece a agir em conformidade com as reais pretensões e necessidades do setor", sustentou Jorge Rita, indicando que já foi solicitada uma audiência ao presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro.

A Federação Agrícola admitiu ainda realizar manifestações "por todas as ilhas" dos Açores, justificando que "a lavoura está hoje espartilhada em termos financeiros e económicos".

"Queremos menos diagnósticos do que aqueles que já estão feitos. (...) O que precisamos do secretário é soluções e elas tardam em aparecer", referiu ainda Jorge Rita.

A Lusa tentou uma reação junto da secretaria regional da Agricultura e Florestas, mas não foi possível até ao momento.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.