FCT prevê atribuir 900 bolsas de doutoramento no concurso de março

FCT prevê atribuir 900 bolsas de doutoramento no concurso de março

 

Lusa/Açoriano Oriental   Nacional   2 de Fev de 2017, 17:20

A Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) prevê atribuir este ano 900 bolsas de doutoramento no concurso cujo prazo de candidaturas vai decorrer em março, anunciou a entidade na sua página na internet.

O concurso da FCT de 2017 para a atribuição de bolsas de doutoramento (mais 100 face a 2016) foi antecipado para "permitir que os candidatos tenham conhecimento do resultado (...) antes do início do ano letivo, de forma a poderem melhor planear a sua investigação", justifica a instituição.

O prazo para a apresentação de candidaturas decorre entre 01 e 31 de março.

O vice-presidente da FCT, Miguel Castanho, disse à Lusa que os resultados deverão ser divulgados até agosto, para que os bolseiros possam começar a sua investigação em setembro ou outubro.

Miguel Castanho adiantou que a FCT pretende, a partir de 2018, antecipar mais ainda o concurso para bolsas de doutoramento, fixando o prazo de candidaturas em janeiro.

As bolsas funcionam como um subsídio, mensal, atribuído aos investigadores em formação, com vista a obterem o grau de doutor. O seu trabalho científico é feito em regime de exclusividade.

A partir deste ano, a FCT deixa de lançar concursos para a concessão de bolsas de pós-doutoramento, em consonância com o decreto-lei de estímulo ao emprego científico, em vigor desde setembro, que se propõe substituir estas bolas por contratos de trabalho a termo.

Na sua página na internet, a Fundação para a Ciência e Tecnologia sublinha que a contratação de investigadores doutorados, ao abrigo do diploma, "é uma prioridade" e "estará refletida no concurso de projetos em todos os domínios científicos", que será aberto até março.

A instituição acrescenta que prevê, este ano, lançar concursos destinados à contratação de mais de mil doutorados, em instituições públicas há mais de três anos e diretamente financiados pela FCT, no âmbito do mesmo decreto-lei, e promover outras "oportunidades de emprego científico".

Para o vice-presidente da FCT, Miguel Castanho, o número de bolsas de doutoramento a conceder este ano representa "um esforço (financeiro) adicional no apoio à formação avançada", atendendo ao "investimento muito superior" na contratação de doutorados, em substituição da atribuição de bolsas de pós-doutoramento.

O concurso de 2016, cujos resultados apenas foram divulgados na terça-feira, aprovou 800 bolsas de doutoramento e 400 de pós-doutoramento.

A Fundação para a Ciência e Tecnologia é a principal entidade, na dependência do Ministério da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior, que subsidia a investigação em Portugal.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.