Família separada pelo tsunami de 2004 reencontra-se

Família separada pelo tsunami de 2004 reencontra-se

 

Lusa/AO online   Internacional   8 de Ago de 2014, 19:27

Dez anos após o tsunami de 2004, um casal indonésio encontrou a sua filha, que sobreviveu à catástrofe agarrando-se a pedaços de madeira nos destroços, depois de separada da família.

 

Vagas de grandes dimensões arrastaram Raudhatul Jannah, que tinha então quatro anos e o irmão Arif Pratama, de sete, no dia 26 de dezembro de 2004, no tsunami que matou mais de 220.000 pessoas pelo oceano Índico.

A maior parte das vítimas mortais, 170.000, eram indonésios.

A província de Aceh, na ilha de Sumatra, onde residia a família, foi devastada e milhares de pessoas morreram ali.

Os pais de Jannah sobreviveram mas abandonaram toda a esperança de encontrar algum dos seus filhos com vida.

Em junho passado, um tio materno das crianças terá reparado numa menina, em uma escola da vila de Aceh, pelas semelhanças da menina com a mãe de Raudhatul Jannah.

Após alguma investigação, concluiu-se que a adolescente tinha sobrevivido ao tsunami, e voltou à província natal, trazida das ilhas por um pescador, cuja mãe teria adotado pensando-se tratar de uma órfã, havia cerca uma década.

Os pais da jovem, incrédulos, dirigiram-se à vila de forma a reconhecer a filha, hoje com 14 anos, e levá-la para casa.

“Estou muito contente de estar com a minha mãe e o meu pai de novo”, confidenciou a jovem.

A família vive agora na esperança de que se realize outro “milagre”.

“Esperamos agora encontrar o irmão dela”, afirma o pai de Jannah, Speti Ranqkuti, de 52 anos. “Vamos alertar a polícia para que nos possam ajudar nas buscas”.

Arif Pratama foi separado da sua irmã quando esta foi adotada pois a família de acolhimento seria “demasiado pobre para alimentar duas bocas”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.