Fado Património Mundial foi uma conquista importante para Portugal

Fado Património Mundial foi uma conquista importante para Portugal

 

Lusa/AOonline   Nacional   27 de Nov de 2012, 13:30

A classificação do Fado como Património Cultural Imaterial da Humanidade, há um ano, foi uma conquista importante para Portugal, sublinhou hoje, em Lisboa, a diretora-geral do Património Cultural, Isabel Cordeiro.

 

A responsável falava à agência Lusa no final da abertura de um colóquio internacional sobre políticas públicas para o Património Cultural Imaterial (PCI), que decorre hoje e na quarta-feira, no Instituto Francês de Portugal (IFP), em Lisboa.

O encontro, que reúne especialistas portugueses e estrangeiros, é realizado pela Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), no âmbito da candidatura ao Programa IBERMUSEUS, em colaboração com a Universidade de Évora.

Questionada pela Lusa sobre a importância da classificação do Fado pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), faz hoje exatamente um ano, a nova responsável da DGPC comentou que este primeiro aniversário "tem um sabor especial".

Isabel Cordeiro destacou ainda que o PCI é uma área muito importante dentro do património cultural, e apontou que, nos últimos cinco anos, surgiram medidas governamentais importantes nesta área, nomeadamente a regulamentação da Lei de Bases, e a instituição do regime jurídico de salvaguarda.

Também destacou o arranque, há um ano, do Inventário Nacional do PCI, que vai continuar em curso para a recolha das manifestações imateriais do país.

A diretora-geral do Património Cultural, nomeada no início de novembro pelo secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, para ocupar o cargo de Elísio Summavíelle, que se demitiu, salientou a importância da realização deste colóquio internacional para fazer um balanço das políticas públicas no setor.

O colóquio "Políticas Públicas para o Património Imaterial na Europa do Sul – percursos, concretizações, perspetivas" tem como objetivo refletir sobre os principais programas e medidas de valorização do PCI, desenvolvidos em Portugal, Espanha, França e Itália, no contexto da aplicação da Convenção da UNESCO para a proteção deste património, estabelecida em Paris, em outubro de 2003.

Um dos assuntos principais a debater será a importância da constituição de inventários para a salvaguarda do PCI, e os papéis das entidades nacionais, regionais e locais, desde as governamentais, museus, universidades, centros de pesquisa, e associações.

Os especialistas vão também falar sobre o papel do PCI como fator de construção e reconstrução de identidades nos países do sul da Europa.

A Convenção da UNESCO para a salvaguarda do PCI entrou em vigor em 2006, foi assinada por 146 países, e ratificada por Portugal em 2008.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.