Justiça

Factos criminais provados contra os sete arguidos do caso Casa Pia

Factos criminais provados contra os sete arguidos do caso Casa Pia

 

Lusa/AO online   Nacional   3 de Set de 2010, 11:12

O colectivo dos juízes do caso Casa Pia, na leitura do acórdão do julgamento, já deu como provados factos criminais relativos a todos os sete arguidos.
O julgamento do processo de abusos sexuais na Casa Pia chega esta sexta-feira ao fim com a leitura do acórdão final, quase seis anos depois de ter começado.

O colectivo de juízes presidido por Ana Peres, coadjuvada por Lopes Barata e Ester Santos, está a proferir a decisão sobre a inocência ou culpa dos sete arguidos, acusados de crimes de abuso sexual, acto sexual com adolescente e lenocínio, entre outros.

O início da sessão, que decorre no Campus da Justiça, em Lisboa, estava marcada para as 9:30 locais, mas começou às 10:48 locais.

Em tribunal respondem os arguidos Carlos Silvino, ex-motorista da Casa Pia, o ex-provedor da instituição Manuel Abrantes, o médico João Ferreira Diniz, o advogado Hugo Marçal, o apresentador de televisão Carlos Cruz, o embaixador Jorge Ritto e Gertrudes Nunes, dona de uma casa em Elvas onde alegadamente ocorreram abusos sexuais.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.