Exposição em Ponta Delgada homenageia poetisa Natália Correia


 

Lusa/AO Online   Regional   2 de Mar de 2016, 10:06

A Câmara de Ponta Delgada inaugura na terça-feira uma exposição sobre Natália Correia, que já percorreu as nove ilhas dos Açores, prestando homenagem à poetisa falecida a 16 de março de 1993 em Lisboa.

 

“Foi a forma que o município de Ponta Delgada encontrou para homenagear mais uma vez a poetisa e relembrar os seus feitos”, declarou à agência Lusa o diretor do Coliseu Micaelense e gestor da agenda cultural da autarquia, Miguel Brilhante, acrescentando que a mostra estará patente ao público no Centro de Estudos Natália Correia, em Ponta Delgada.

A exposição itinerante “Natália Correia – A Feiticeira Cotovia”, organizada pelo Governo dos Açores em 2013, no âmbito das comemorações regionais do 90.º aniversário do nascimento e 20.º da morte da poetisa, foi inaugurada na Academia da Juventude da Praia da Vitória, ilha Terceira, a 13 de setembro de 2013.

Miguel Brilhante adiantou que a mostra agora reativada resultou de uma parceria do município com a Direção Regional da Cultura e cortesia do Museu Carlos Machado, entidade detentora da coleção de arte da poetisa e de todo o recheio da sua casa.

O responsável adiantou que o Centro de Estudos, localizado na freguesia da Fajã de Baixo, onde nasceu Natália Correia, foi inaugurado em 2011 e, desde então, tem servido como “um espaço de partilha das artes”, com saraus poéticos, lançamento de livros, exposições de fotografias e de pintura, além de ter uma biblioteca com obras genéricas da escritora.

A técnica do Museu Carlos Machado, Silvia Massa, explicou à Lusa que a mostra "Natália Correia - A Feiticeira Cotovia" contém painéis divididos em quatro núcleos, sendo que foi decidido expor mais reproduções do que originais “devido ao condicionamento de cada espaço onde a exposição foi apresentada nas diferentes ilhas”.

“A seleção foi bastante contida. Apresentamos algumas obras artísticas da autora, como o seu autorretrato de 1965 e um retrato de Manuel de Lima que Natália Correia pintou, dado que trabalhou com o escritor sobretudo nas primeiras peças dramáticas”, referiu Silvia Massa, adiantando que também podem ser vistas reproduções de várias fotografias de Natália Correia.

O Governo Regional anunciou que as cinzas de Natália Correia, já transladadas para São Miguel, “ficarão depositadas em local próprio, no jardim interior da Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada”, instituição onde estão depositadas obras da biblioteca particular da poetisa e do seu último marido, Dórdio Guimarães, manuscritos originais e fotografias.

Natália Correia nasceu em São Miguel, em 1923, e fixou residência em Lisboa, onde faleceu a 16 de março de 1993, tendo-se notabilizado, ao longo da sua vida, “através de diversas vertentes da escrita, já que foi poetisa, dramaturga, romancista, ensaísta, tradutora, jornalista, guionista e editora”.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.