Exposição de camélias exibe "pequena amostra" de jardim botânico privado dos Açores

Exposição de camélias exibe "pequena amostra" de jardim botânico privado dos Açores

 

Lusa/Açoriano Oriental   Regional   23 de Fev de 2017, 09:55

A exposição anual de camélias, que decorre no próximo fim de semana nas Furnas, Açores, exibe "uma pequena amostra" das mais de 700 variedades do Parque Terra Nostra, colhidas de véspera para "manterem a beleza".

 

"A camélia é, por vezes, uma flor muito ingrata. Não podemos colher a flor dois ou três dias antes, caso contrário no dia da exposição ela está toda manchada", afirmou à agência Lusa o chefe do Parque Terra Nostra, Fernando Costa, que trata das plantas deste jardim botânico privado, na ilha de São Miguel, há 36 anos.

A XV Exposição de Camélias, evento organizado pela Câmara da Povoação em colaboração com o Terra Nostra Garden Hotel e Junta de Freguesia das Furnas, vai mostrar no edifício designado de Casino, no sábado e no domingo, mais de 200 variedades, num ambiente inspirado na própria flor.

Fernando Costa, responsável há vários anos pela decoração da exposição, confessou que, "por vezes, é preciso estar toda a noite, de pilha na mão, a procurar camélias [no parque] para no outro dia tê-las com boa apresentação".

"A flor pode durar apenas dois a três dias bonita, pois a humidade mancha-a", justificou Fernando Costa, referindo que a escolha das camélias "é feita consoante o tempo".

Segundo o jardineiro, "há camélias mais resistentes ao mau tempo e outras menos", mas quando chega o momento da exposição "há que escolher" entre as variedades disponíveis, pelo que a iniciativa é "uma pequena amostra" do que existe neste parque centenário.

Localizado no vale das Furnas, o Parque Terra Nostra contém uma das maiores coleções de camélias do mundo, tendo sido distinguido em 2014 com o prémio "Jardim de Camélias de Excelência", pela International Camellia Society.

O responsável do jardim assegurou ser possível observar camélias praticamente durante todo o ano, pois existem à volta de dez espécies, com mais de 700 variedades diferentes, das quais 650 estão já catalogadas.

"Espero chegar às mil variedades, mas isso o futuro a Deus pertence. Quando vim para o Parque Terra Nostra se calhar não tinha mais de 30/40 variedades", destacou Fernando Costa, frisando que "esta flor dá um colorido especial ao jardim durante o inverno".

Branco, rosa ou amarelo são algumas das cores das camélias deste jardim, mas muitas outras têm surgido nos últimos anos, devido às variedades híbridas que têm sido criadas, explicou o jardineiro, incapaz de eleger a preferida.

Fernando Costa, que já foi a várias exposições de camélias no continente português, assegurou que a realização de um evento desta natureza exige criatividade e "muito trabalho em pouco tempo", algo que faz com gosto, pois atrai anualmente muitos visitantes à freguesia e ajuda a divulgar mais a espécie.

Além das camélias, a exposição inclui, novamente, uma área para a mostra, degustação e comercialização de artigos e produtos regionais, e vai ter uma exposição de pintura, de Olga Pontes, e outra de fotografia, de Paula Moniz, ambas alusivas à temática desta flor.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.