Exército turco afirma que tomou o poder no país

Exército turco afirma que tomou o poder no país

 

Lusa/AO online   Internacional   15 de Jul de 2016, 23:06

O Exército turco afirmou, em comunicado de imprensa, que tomou o poder em todo o país.

 

“O Exército assumiu totalmente o poder para restaurar a democracia. Todos os nossos acordos internacionais estão em vigor. Esperamos manter as boas relações com todos os países”, refere, no comunicado, o Estado-Maior do Exército.

A agência Anadolu noticia que o chefe de Estado-Maior, general Hulusi Akar, foi feito refém por um grupo de soldados.

A televisão turca dá conta de tanques militares destacados na zona exterior do aeroporto Ataturk, em Istambul.

As forças de segurança turcas encerraram as duas pontes sobre o estreito do Bósforo, em Istambul, e foram ouvidos jatos militares voando a baixa altitude sobre Ancara, tendo o primeiro-ministro admitido que esteja em curso um golpe militar.

Na capital do país, a imprensa fala também de movimentos militares, sem que se conheçam para já os motivos. Fontes ouvidas pela Agência Efe contaram que ouviram tiros junto do quartel do Estado-maior.

Os soldados controlaram os aeroportos internacionais de Ancara e Istambul, que estão encerrados e os voos foram todos cancelados.

Às 22:45 locais (20:45 em Lisboa) ocorreu uma troca de tiros entre helicópteros que sobrevoavam o quartel do Estado-Maior em Ancara e agentes da polícia no terreno.

A imprensa turca noticiou que o Presidente do país, Recep Tayyip Erdogan, vai fazer um discurso breve.

O primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, confirmou que há um aparente golpe militar na capital, em Ancara.

“Trata-se de um grupo dentro do Exército que se rebelou”, disse o chefe do Governo, admitindo que aqueles militares cercaram alguns dos principais edifícios.

A agência turca Dogan assinalou que várias ambulâncias foram para o quartel central do Estado-Maior, onde, segundo testemunhas, houve tiroteios.

Segundo o diário digital T24, o edifício dos serviços secretos turcos foi alvo de disparos desde um helicóptero.

Um grande contingente da polícia deslocou-se para Ancara e encerrou o acesso à praça central de Kizilay.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.