Europa avalia incentivos a navios que coloquem o seu lixo nos portos

Europa avalia incentivos a navios que coloquem o seu lixo nos portos

 

Lusa/AO online   Economia   4 de Jun de 2015, 10:42

A Comissão Europeia está a avaliar apoios para que os navios tragam o lixo e o depositem nos portos, para lutar contra a poluição do mar, revelou o comissário europeu do Ambiente.

 

"Uma grande parte do problema do lixo marinho tem origem em terra. Estamos, por isso, a encorajar o melhor tratamento dos resíduos, através de um melhor design dos produtos e do incentivo à reciclagem", avançou Karmenu Vella à agência Lusa.

"Estamos também a avaliar incentivos para que os barcos tragam o seu lixo para terra e o depositem em pontos de receção no porto, em vez de o deitarem ao mar", acrescentou o responsável, em resposta escrita a perguntas da Lusa.

Outra das propostas da Comissão para enfrentar o problema do lixo marinho é procurar formas de levar os pescadores a recolherem equipamentos de pesca perdidos e juntarem os resíduos.

"A Europa está a enfrentar o problema [com ações] em diferentes direções", salientou.

Karmenu Vella congratulou-se com a promessa do G7 (grupo dos sete países mais ricos) de levar esta questão à sua cimeira, que se realiza a 07 e 08 de junho, pois "este é um problema global que exige um esforço global para ser resolvido".

O lixo que se encontra no mar está a preocupar os responsáveis mundiais pois afeta ecossistemas e espécies marinhas e os especialistas têm alertado para os microplásticos, minúsculas bolinhas coloridas, muitas vezes "escondidas" no oceano ou na areia das praias, e que os peixes e aves ingerem, confundindo com alimento.

Através das espécies comerciais, este lixo pode acabar por chegar aos humanos e afetar a sua saúde.

O projeto Poizon "Microplásticos e poluentes persistentes: uma dupla ameaça à vida no mar", que analisou o lixo marinho encontrado em 11 praias portuguesas durante dois anos, concluiu que o plástico, principalmente de muito pequenas dimensões, representa 97% de todo o material encontrado.

A nível europeu, têm sido definidos outros projetos a alertar para a gravidade do problema do lixo marinho, como o Marlisco, que agora terminou, e, em Portugal, foi desenolvido por investigadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, tendo sensibilizado milhares de portugueses, através de diversas atividades e sessões de esclarecimento em todo o país, principalmente em escolas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.