Crise

Europa arrisca vários anos de crescimento débil


 

Lusa / AO online   Economia   16 de Jul de 2010, 18:41

O director do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, estimou esta sexta-feira que a Europa se arrisca a enfrentar "vários anos de crescimento fraco", originando um aumento do desemprego e um enfraquecimento do poder de compra.
O crescimento está a começar a surgir na Ásia, em África e nos Estados Unidos mas "há um problema europeu", indicou Strauss-Kahn à estação de televisão France 24.

"Não é o único lugar do mundo onde há dificuldades, mas há claramente um problema europeu em matéria de crescimento", acrescentou.

Para o FMI, no entanto, o "cenário principal não é o de um regresso à recessão".

"O risco para a Europa é o de vários anos de crescimento débil", estimou o director geral do FMI, classificando este risco como "muito sério".

"Isto quer dizer pouco poder de compra, problemas nos sistemas sociais de reforma, de saúde, uma subida do desemprego", acrescentou.

O FMI actualizou na semana passada a sua previsão de crescimento para 2010 para a maioria das grandes economias mundiais, como os Estados Unidos (3,3 por cento), o Japão (0,5 por cento) e a China (10,5 por cento). No entanto, o FMI deixou inalterada a previsão para a zona euro (1,0 por cento).

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.