EUA e Turquia querem criar uma zona "segura" e "livre" de 'jihadistas' no norte da Síria

EUA e Turquia querem criar uma zona "segura" e "livre" de 'jihadistas' no norte da Síria

 

Lusa/AO online   Internacional   27 de Jul de 2015, 18:44

Os Estados Unidos e a Turquia decidiram ampliar a cooperação militar com o objetivo de erradicar o grupo autodenominado Estado Islâmico (EI) do norte da Síria e criar uma zona "livre" e "segura" ao longo da fronteira turca-síria.

 

"O objetivo é estabelecer uma zona livre do EI e melhorar a segurança e a estabilidade ao longo da fronteira entre a Turquia e a Síria", afirmou, em declarações à agência francesa AFP, um responsável militar norte-americano, à margem da visita oficial do Presidente norte-americano, Barack Obama, à Etiópia.

A mesma fonte disse que as duas partes "continuam a trabalhar" sobre os pormenores deste plano.

O responsável adiantou, no entanto, que "qualquer esforço militar conjunto não irá incluir a imposição de uma zona de exclusão aérea", uma exigência antiga de Ancara.

Fontes turcas e norte-americanas hoje citadas pelo jornal The Washington Post explicaram que os planos de Ancara e de Washington consistem na criação, com recurso a ataques aéreos, de uma zona livre de 'jihadistas' que irá abranger mais de 100 quilómetros da fronteira turca-síria e cerca de 65 quilómetros para o interior do território sírio.

Esta "zona segura" irá estender-se para o norte da província de Alepo, entre as localidades de Azaz e Jarabulus, uma região controlada em grande parte pelos combatentes 'jihadistas' do EI e palco de confrontos com as forças curdas e grupos rebeldes sírios.

A Turquia pretende que esta zona seja um refúgio seguro para os cerca de dois milhões de refugiados sírios que fugiram da guerra civil síria através da fronteira turca.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.