EUA criticam "com a maior veemência" ataques "brutais" contra civis

EUA criticam "com a maior veemência" ataques "brutais" contra civis

 

Lusa/AO online   Internacional   17 de Ago de 2015, 19:08

Os Estados Unidos condenaram "com a maior veemência" os ataques "brutais" lançados no domingo pelo regime da Síria contra um mercado popular e que fez quase 100 mortos no feudo rebelde de Douma.

Criticando "o desprezo do regime pela vida humana", o Departamento de Estado dos Estados Unidos acrescentou também que continua "a trabalhar com os seus parceiros para uma verdadeira transição política negociada, excluindo Bashar al-Assad".

Os Estados Unidos juntam-se assim às Nações Unidas na condenação do ataque aéreo que fez 96 vítimas mortais num mercado situado numa zona onde os rebeldes críticos do regime da Síria têm grande apoio.

O subsecretário-geral para os Assuntos Humanitários da ONU, Stephen O'Brien, declarou-se horrorizado com os ataques contra os civis na Síria, um dia depois de ataques aéreos do regime de Bashar al-Assad terem causado perto de 100 mortos.

"Estou horrorizado com a ausência total de respeito da vida dos civis neste conflito", disse numa conferência de imprensa em Damasco, na sua primeira visita à Síria.

Indicou estar "particularmente consternado com as informações sobre os ataques aéreos que causaram dezenas de mortos e centenas de feridos entre os civis, no centro de Douma, uma zona sitiada de Damasco".

Uma série de ataques da força aérea do regime visaram no domingo um mercado popular no feudo rebelde de Douma, matando 96 pessoas, na maioria civis, num dos ataques mais mortíferos desde o início do conflito na Síria em março de 2011.

O'Brien, que se encontrava na capital síria na altura dos ataques, lançou um apelo a todos os beligerantes para "protegerem os civis e respeitarem o direito humanitário internacional".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.