EUA cancelam planos para permitir explorações petrolíferas no Ártico


 

Lusa/AO online   Economia   17 de Out de 2015, 18:41

Os Estados Unidos anunciaram, esta sexta-feira, o cancelamento dos seus planos para permitir perfurações petrolíferas nas costas árticas do Alasca durante os próximos anos, informou o Departamento do Interior norte-americano.

Esta decisão implica a supressão das licitações previstas para obtenção de direitos de perfuração nos mares de Chukchi e Beaufort, ocorrendo menos de um mês depois de a petrolífera Shell ter optado por suspender a exploração de crude e de gás nas costas do Alasca.

No final de setembro, a petrolífera anglo-holandesa anunciou o abandono dos planos no Alasca devido aos “dececionantes” resultados numa importante jazida do mar de Chukotka, numa altura em que o preço do petróleo se encontra o nível mais baixo dos últimos anos.

“Atendendo ao anúncio da Shell, a quantidade de terreno que já está alocada e as atuais circunstâncias do mercado não tem sentido preparar novas ofertas no Ártico”, indicou a secretária do Interior, Sally Jewell.

Além disso, a Administração norte-americana também decidiu rejeitar os pedidos da Shell e da norueguesa Statoil para estender os contratos existentes no Ártico obtidos durantes os governos de George W. Bush.

Os Estados Unidos tinham previsto duas ofertas para os próximos anos: uma com os direitos sobre o mar de Chukchi em 2016; e outra no mar de Beaufort para 2017.

Apesar do cancelamento para os próximos dois anos, o Departamento do Interior mantém os planos para outras duas potenciais licitações de direitos de perfuração no Ártico para 2020 e 2022.

A decisão final relativamente a estes casos vai depender, contudo, do Presidente que será eleito nas eleições de 2016.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.