Estudo em escola revela que Internet é cada vez mais usada para ameaçar colegas

Estudo em escola revela que Internet é cada vez mais usada para ameaçar colegas

 

Lusa/AO online   Nacional   19 de Nov de 2014, 16:04

Um trabalho de investigação da universidade de Aveiro (UA) conclui que crescem as ameaças através da Internet entre colegas de escola, para evitarem sanções disciplinares, num fenómeno em expansão, o chamado 'cyberbullying'.

 

“Este é um problema que diz respeito a toda a sociedade e não apenas às escolas”, aponta José Ilídio Sá, autor da tese de doutoramento "Bullying nas Escolas: Prevenção e Intervenção", realizada no Departamento de Educação da UA, que durante um ano letivo estudou o comportamento de alunos de uma escola secundária de Espinho.

“O 'cyberbullying' traduz inquestionavelmente uma forma mais complexa de 'bullying'. Em muitos casos, surge como a continuação do 'bullying' presencial, mas noutras situações desponta como o “espaço predileto do agressor”, explica o investigador.

O anonimato ou a falsa identidade do ofensor, a enorme quantidade de observadores presentes, a velocidade “viral” de propagação das ofensas, agressões e humilhações, são fatores que levam os agressores a fazer essa escolha.

Para a executar, dispõem hoje de variados meios ao seu dispor, como 'smartphones' com câmara fotográficas e de vídeo, tablets, numerosos postos com computadores disponíveis e facilidade de acesso à Internet.

“É uma nova forma de violência que amplia as consequências do 'bullying' tradicional. A difusão de ameaças, difamações e violência psicológica através da Internet é um meio cada vez mais utilizado pelos jovens para ofender terceiros”, retrata.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.